Sábado, 30 de Julho, 2016
   
Tamanho
Banner

Procure no site:

Cebrapaz - Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz

Nota do Cebrapaz em solidariedade ao povo mexicano e aos estudantes desaparecidos em Ayotzinapa

O Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz) vem manifestar sua solidariedade aos estudantes, movimentos sociais e ao povo mexicano que vem se mobilizando para exigir o esclarecimeno sobre o desaparecimento dos 43 estudantes da escola de Ayotzinapa desde o dia 26 de setembro de 2014.

O México se encontra numa situação crítica, com um país desestruturado pela forte dependência com os Estados Unidos, a influência do narcotráfico na economia, política e sociedade e a sistemática perseguição aos movimentos sociais. O massacre de Ayotzinapa fez com que a indignação coletiva nacional se transformasse num grande movimento de massas.

Hoje, o povo mexicano clama por justiça, mas mais do que isto, por um novo país. Que o México de Zapata e Pancho Villa reerga-se! Toda solidariedade ao povo mexicano!

poster of students missing from ayotzinapa

 

Conselho Mundial da Paz realizará Assembleia pela primeira vez no Brasil

São Luís (MA) será a capital da luta pela paz em novembro. O Conselho Mundial da Paz (CMP) realiza pela primeira vez no Brasil a sua Assembleia e escolheu o Maranhão, que já ofereceu a sua combativa hospitalidade, como o ponto de encontro dos movimentos engajados na luta contra a guerra e a opressão. O Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz) será o anfitrião.

cartaz assembleia cmp brasil

 

Otan-Exit, objetivo vital

Enquanto a atenção político-midiática está concentrada no Brexit e outros possíveis descolamentos da União Europeia (UE), a Otan, com a desatenção geral, aumenta sua presença e sua influência na Europa.

Por Manlio Dinucci*

   

Condenamos a arbitrariedade de Israel na deportação de Moara Crivelente, membro do Cebrapaz, e outros solidários ao povo palestino

É com indignação que condenamos e denunciamos a política levada a cabo por Israel de perseguição e intimidação dos ativistas internacionais, inclusive brasileiros, que integram o movimento internacional de solidariedade ao povo palestino na sua justa causa pelo fim da ocupação israelense.

Denunciamos que a cientista política e jornalista Moara Crivelente, membro do Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz), foi interrogada, detida e deportada quando tentava chegar à Palestina ocupada para um curso de direito internacional, como parte da sua pesquisa de doutorado. Moara já visitara a Palestina algumas vezes e encontrara-se com movimentos locais, pelo que as autoridades de segurança de Israel interrogaram-na repetidamente exigindo que desse informações sobre as pessoas que conheceu e os lugares que visitou. Também pediram que lhes desse a senha do seu celular.

 

Por "razões de segurança", Israel deporta a solidariedade internacional aos palestinos

Mensagens pichadas nas paredes e nos estrados dos beliches declaram: “para cada membro do Movimento Internacional de Solidariedade deportado, mais dez virão”. Foi lendo essas frases escritas com pasta de dentes ou até com comida que as horas passaram no centro de detenção da Autoridade de População, Imigração e Fronteiras do Ministério do Interior israelense, para onde eu e tantos outros antes e depois de mim fomos levados para esperar a deportação. Após horas de interrogatório no aeroporto internacional Ben Gurion, em Tel-Aviv, fomos declarados banidos por 10 anos, por “questões de segurança” – sem mais explicações. Somos ameaças.

Por Moara Crivelente*

   

Página 1 de 92

3ª Assembleia

cartaz-site

Login Form