Domingo, 01 de Maio, 2016
   
Tamanho
Banner

Procure no site:

Cebrapaz - Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz

Nota do Cebrapaz em solidariedade ao povo mexicano e aos estudantes desaparecidos em Ayotzinapa

O Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz) vem manifestar sua solidariedade aos estudantes, movimentos sociais e ao povo mexicano que vem se mobilizando para exigir o esclarecimeno sobre o desaparecimento dos 43 estudantes da escola de Ayotzinapa desde o dia 26 de setembro de 2014.

O México se encontra numa situação crítica, com um país desestruturado pela forte dependência com os Estados Unidos, a influência do narcotráfico na economia, política e sociedade e a sistemática perseguição aos movimentos sociais. O massacre de Ayotzinapa fez com que a indignação coletiva nacional se transformasse num grande movimento de massas.

Hoje, o povo mexicano clama por justiça, mas mais do que isto, por um novo país. Que o México de Zapata e Pancho Villa reerga-se! Toda solidariedade ao povo mexicano!

poster of students missing from ayotzinapa

 

Vitória da Paz: Japoneses derrotam planos de instalação de nova base militar dos EUA

A Presidência do Conselho Mundial da Paz soma-se às organizações amantes da paz na comemoração de uma grande vitória do povo japonês, que conseguiu evitar a instalação de mais uma base militar dos Estados Unidos na ilha de Okinawa.

 

Cebrapaz saúda rejeição oficial de defensor das colônias como Embaixador de Israel no Brasil

O Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz) saúda e reafirma a importância de o Ministério das Relações Exteriores do Brasil ter rejeitado o nome de Dani Dayan, indicado como Embaixador de Israel no Brasil pelo primeiro-ministro sionista Benjamin Netanyahu.

Há meses, o primeiro-ministro havia anunciado em evento público, citado pelos meios de comunicação israelenses e, depois, internacionais, sobre a nomeação de Dayan, que vive em uma colônia em territórios palestinos ocupados e já presidiu o Conselho Yesha, uma espécie de super-prefeitura das colônias ilegais. Conforme foi apurado, o Ministério brasileiro de Relações Exteriores sequer havia recebido comunicação por parte da Chancelaria israelense, como requer o protocolo.

   

Socorro Gomes: O povo brasileiro vai derrotar a vilania e o golpe

A infâmia e a vilania foram as protagonistas neste domingo (17/04), na Câmara dos Deputados. Uma sessão para encher de opróbrio os responsáveis da odiosa trama urdida pelo vice-presidente da República, Michel Temer, cuja lembrança vai encher de vergonha os brasileiros por muitas gerações.

Por Socorro Gomes*

 

Cebrapaz condena o Marrocos pela morte de líder sindicalista saaraui na prisão

É com pesar e revolta que o Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz) recebe a notícia da morte do líder sindical saaraui Brahim Saika, nesta terça-feira (19 de abril), em prisão marroquina. Saika estava preso desde o início do mês e em greve de fome, protestando, com seus companheiros também presos políticos, contra a sua detenção e a tortura que vinha denunciando.

O líder sindical foi detido na cidade em que vive, Gulemin, quando promovia um protesto para denunciar as condições dos saarauis desempregados em território marroquino. Detido, Saika foi torturado por horas e, realizando um protesto através da greve de fome, não recebeu a atenção médica necessária para preservar sua vida, denunciou a Frente Polisario. Além disso, a Frente denuncia a renúncia das autoridades marroquinas em realizar uma autópsia, apesar do pedido da família.

Saika também foi ativo na mobilização dos saarauis contra a ocupação marroquina do Saara Ocidental, que já dura quatro décadas. Os ativistas pela libertação do povo saaraui denunciam reiteradamente a sua perseguição pelas autoridades marroquinas, seu encarceramento e maus-tratos por questões políticas e a virulência do Reino de Marrocos contra os saarauis em seus próprios territórios.

Movimentos sociais solidários à luta do povo saaraui em diversos países manifestaram seu apoio a outros 13 prisioneiros políticos em greve de fome por terem sido ilegalmente detidos pelas autoridades marroquinas, sofrerem processos políticos sob acusações falsificadas, com testemunhos forjados e supostas confissões conseguidas através de tortura.

Por isso, o Cebrapaz soma-se aos movimentos sociais na afirmação da sua solidariedade determinada aos prisioneiros políticos saarauis e à luta do povo saaraui contra a perseguição e a ocupação marroquina, por um papel mais efetivo da missão das Nações Unidas no território (Minurso) na proteção dos direitos humanos e pela realização do referendo de auto-determinação postergado desde 1991 pelo Reino do Marrocos.

Pelo Saara Ocidental livre!

Socorro Gomes
Presidenta do Cebrapaz 

   

Página 1 de 84

3ª Assembleia

cartaz-site

Login Form