Ícone do site CEBRAPAZ

Paraguai cancela acordo com EUA de instalação de tropas no país

O presidente do Paraguai, Fernando Lugo, afirmou na última quinta-feira que seu país revogou os planos de realizar exercícios em conjunto com as tropas dos Estados Unidos, além de revogar também o desenvolvimento de ações e projetos conjuntos com os americanos.

O presidente do Paraguai, Fernando Lugo,afirmou na última quinta-feira que seu país revogou os planos de realizar exercíciosem conjunto com as tropas dos Estados Unidos, além de revogar também odesenvolvimento de ações e projetos conjuntos com os americanos.

Lugo afirmou, durante entrevista coletiva, que não pensa mais que acolhertropas americanas no país, tomando parte do programa Novos Horizontes doPentágono, seja algo que valha a pena.

"Não é uma rejeição categórica.Simplesmente não achamos conveniente que o Comando Sul dos Estados Unidosesteja presente no Paraguai com 500 homens para esse tipo de exercícios",afirmou o mandatário em uma entrevista coletiva à imprensa.

A reviravolta no assunto acontece semanasdepois de Washington anunciar a instalação de bases em território colombiano.

Na coletiva, Lugo explicou que as liderançasdo continente reunidas na Unasul (União de Nações Sul-americanas), em termos dedefesa, segurança e soberania, "apostam na integração regional em primeirolugar".

Decisão "lamentável"
A embaixadora dos Estados Unidos em Assunção,Liliana Ayalde, estrilou com a decisão oficial. "Esperamos que isso nãoseja um indício de rejeição ao restante de nossos programas. Não temos nada queindique isso", arengou.

"Uma mobilização de 500 pessoas,militares e profissionais dentro do país não passa despercebida. Por isso,creio que não seja prudente nem conveniente a chegada de tropasnorte-americanas ao Paraguai", argumentou Lugo.

Segundo autoridades paraguaias, a decisão nãoafetará a agenda de negócios do país com os Estados Unidos.

Nós temos uma agenda bilateral excelente comos Estados Unidos. Temos atualmente mais de 30 acordos com eles em diversaráreas, dos quais seis estão na área de cooperação militar", disse Lugo.

Da redação, com informações da al-Jazira

Fonte: Portal Vermelho – www.vermelho.org.br

Sair da versão mobile