Ícone do site CEBRAPAZ

Entidades debatem propostas para o Fórum Social Mundial 2018; Jussara Cony representa o Cebrapaz

O Coletivo Facilitador do Fórum Social Mundial (FSM) realizou um Seminário Internacional preparatório nos dias 17 e 18 de outubro, dentro da programação geral do Congresso  de Pesquisa, Ensino e Extensão da Universidade Federal da Bahia (UFBA), em Salvador. A vice-presidenta do Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz) Jussara Cony participou.

O Cebrapaz integra o Coletivo Nacional preparatório do FSM, que acontecerá em março de 2018, em Salvador (BA). Jussara participou da reunião do Coletivo Nacional (em 19 de outubro) e do Coletivo de Cultura, representando a entidade.

Antes ocorreu o Conselho Internacional do FSM, nos dias 15 e 16, também na UFBA, discutindo o papel do FSM na atual conjuntura mundial e organização da edição 2018. Participaram representantes de organizações de países da Europa, África, América do Sul e do Canadá, de acordo com o site do FSM 2018.

No Seminário Internacional, a vice-presidenta do Cebrapaz participou da mesa “Desafios da Integração Regional Latino-americana e Africana: Soberania e Integração dos Povos por Outro Modelo de Desenvolvimento” e em toda as demais mesas de debate.

Dos resultados das reuniões, Jussara destaca a proposta de despertar a luta democrática nacional para enfrentar a ofensiva imperialista. Também nota o compromisso para “envidar esforços, no processo do FSM/2018, no Brasil, na busca de alternativas para soberania, o desenvolvimento, a democracia, os direitos dos trabalhadores e a justiça social e a paz, materializando a resistência na ‘criação de uma frente ampla anti-imperialista dos continentes latino-americano e africano pela independência política, econômica, social, cultural e nacional dos seus países.'”

Espaço Cultura da Paz no FSM 2018

Na Reunião do Coletivo Nacional, a vice-presidenta destaca a concepção do internacionalismo “como dinamizador da ‘Cultura de Paz’, para construir, no FSM 2018, um espaço que proporcione o debate dos povos em luta por Estados nacionais soberanos, em contraponto ao domínio do imperialismo, através de intervenções no campo do debate de ideias e culturais, como expressão do significado da diversidade humana e cultural, maior riqueza da humanidade, para a libertação dos povos.”

Foi proposta a concepção do Espaço “Cultura da Paz” para o FSM 2018, para o debate da unidade dos povos em luta pela paz (Civilização) em contraposição ao domínio do imperialismo sobre os estados nacionais (Barbárie).

Jussara Cony, vice-presidente do Cebrapaz, representa a entidade nos coletivos de Porto Alegre e Nacional do FSM 2018. O Coletivo Facilitador também abriu consultas sobre a organização do FSM e opiniões podem ser dadas na página do FSM 2018.

“Resistir é Criar, Resistir é Transformar – lema da edição 2018, expressa o espírito da programação de aliar a análise crítica da conjuntura com a busca de estratégias comuns e alternativas para Um Outro Mundo Possível – lema histórico do Fórum,” destaca a página do FSM 2018.

 

Sair da versão mobile