Secretariado do Conselho Mundial da Paz reúne-se na Sérvia e discute plano de ação

O Secretariado do Conselho Mundial da Paz, que o Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz) integra, reuniu-se em Belgrado, Sérvia, em 21 e 24 de março, quando participou também, em 22 e 23 de março, dos eventos sobre o 20º aniversário da agressão da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) contra o país. A atualização do plano de ação do CMP esteve na agenda, assim como o acompanhamento da situação nas diferentes regiões.

Como na reunião do Comitê Executivo do CMP em Damasco, no final de 2018, um plano de ação e os informes das coordenações regionais da entidade já haviam sido apresentados e uma declaração política, emitida (consulte neste link), coube ao Secretariado a atualização dos documentos e da agenda deste ano.

Foi a primeira reunião do Secretariado eleito na Assembleia do CMP realizada em 2016 em São Luís, no Maranhão. A ocasião destacou-se pela participação do CMP nos eventos das organizações sérvias no âmbito do aniversário da agressão da OTAN de 1999 contra a ex-República Federal da Iugoslávia.

Das 13 entidades no Secretariado, delegados de 10 participaram, além de mais membros do CMP convidados. No total, membros de 18 países compareceram. O Cebrapaz foi representado por Moara Crivelente, que integra a Direção Executiva. O desenrolar da situação desde a reunião do Comitê Executivo nas respectivas regiões foi discutido.

A presidenta do CMP Socorro Gomes fez um contundente discurso sobre a urgência do fortalecimento da luta pela paz e da ampliação da frente anti-imperialista no que se apresenta como uma grave encruzilhada histórica. A ameaça de agressões, intervenções e guerras aumentam, encabeçadas pelos Estados Unidos, por seus aliados na OTAN e por regimes de diversas regiões, que se submetem ao projeto imperialista.

Socorro enfatizou a gravidade da militarização do planeta e a continuidade da luta dos povos pela libertação na Palestina, no Saara Ocidental e em Porto Rico, e pela defesa da soberania nacional na Venezuela, em Cuba, na Síria, entre outros, denunciando ainda catástrofes como a imposta pela ofensiva contra o Iêmen. Clique aqui para ler o seu discurso.

O secrertário-geral Thanassis Pafilis fez um resumo das ações do CMP e seus membros nacionais em seu relatório, também apelando ao fortalecimento da luta anti-imperialista. Propôs ainda um tema para as atividades do CMP na Venezuela, no quadro da Missão Internacional de Solidariedade que se realiza em conjunto com a Federação Mundial da Juventude Democrática (FMJD) de 12 a 14 de abril.

Na missão internacional, que será acolhida pelo membro venezuelano, o Comitê de Solidariedade Internacional (COSI), o Cebrapaz será representado pela vice-presidenta Jussara Cony. No programa estará também uma reunião extraordinária da Região América do CMP, em 11 de abril, sob a coordenação do presidente do Movimento Cubano pela Paz e a Soberania dos Povos (MovPaz) Silvio Platero. A reunião regular aconteceu há poucos meses, na República Dominicana. 

O Secretariado discutiu ainda as ações contra a OTAN, com uma importante conferência e protesto do CMP organizados sob a coordenação do Conselho da Paz dos EUA, membro do CMP, em Washington, no quadro da reunião ministerial comemorativa dos 70 anos da aliança militar. Também ressaltou a urgência da mobilização para a participação no Sexto Seminário Internacional Pela Paz e a Abolição das Bases Militares Estrangeiras em Guantânamo, em maio, sob a coordenação do MovPaz e demais entidades cubanas.

Na reunião, os membros celebraram o 70º aniversário do Conselho Mundial da Paz, que foi fundado em conferências realizadas em 1949 e 1950 por intelectuais e trabalhadores mobilizados em compromisso resoluto contra a guerra, as armas nucleares e a militarização do planeta. Eventos comemorativos devem ser realizados em diversos países pelas entidades nacionais e também durante a visita à Venezuela.

Em breve divulgamos aqui o Plano de Ação do CMP atualizado.