Repudiamos a ofensiva de Bolsonaro contra a Venezuela na ONU

CEBRAPAZ repudia a iniciativa de Bolsonaro contra a Venezuela na ONU, que vilipendia a diplomacia, e a submissão dos interesses do Brasil à agenda dos Estados Unidos

O governo de Jair Bolsonaro deu mais um perigoso passo em sua ofensiva contra a Venezuela. Apresentou à ONU um projeto de resolução que pede uma investigação internacional contra o país vizinho e fraterno. A petição conta também com as assinaturas de Argentina, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Guatemala e Peru. 

O pedido faz acusações falsas, baseadas em denúncias do Departamento de Estado dos Estados Unidos, de seus órgãos de espionagem e ingerência, e em depoimentos dos setores mais recalcitrantes da oposição na Venezuela, que veem no golpe e na agressão externa ao próprio país os meios para derrocar o governo legítimo e constitucional do presidente Nicolás Maduro.  

Ao tentar criminalizar a Venezuela no cenário internacional, sem respaldo nos fatos nem no direito, Bolsonaro e seus aliados pretendem intensificar o cerco e o bloqueio impostos pelo imperialismo estadunidense, aumentando ainda mais os sofrimentos do povo venezuelano. 

A proposta do governo Bolsonaro, para além de ser uma grosseira provocação que tende a ser fragorosamente derrotada, tem também a finalidade de avivar contradições internacionais, condenando a Venezuela como país que não respeita os direitos humanos e o estado democrático de direito, a fim de criar um ambiente propício à ingerência, intervenção e agressão militar externa. É um intento de aplicar contra a Venezuela a mesma estratégia que já resultou em agressões externas contra países soberanos. 

Bolsonaro age cumprindo ordens do imperialismo estadunidense, ao qual pretende subjugar o Brasil. Desta forma, o ocupante do Palácio do Planalto viola a Constituição brasileira, que estabelece o engajamento do País na solução política e pacífica dos conflitos internacionais. Leva o Brasil, assim, à condição de um país submisso, que vende na bacia das almas a própria soberania, em nome dos interesses dos Estados Unidos, abandonando o caminho da autodeterminação. 

E mais, provoca a inimizade de povos vizinhos e irmãos com o Brasil, que tanto se empenhou, nos tempos recentes, pela unidade, integração e amizade com toda a região latino-americana.

Bolsonaro é recorrente nessa prática. Usado como peão pelos Estados Unidos, desrespeita as regras de convivência pacífica com outras nações estabelecidas pelo direito internacional. Com a mesma frivolidade e virulência, já atacou outras nações amigas do Brasil, países irmãos, como Cuba, Nicarágua e forças políticas democráticas da Argentina. 

Na chefia do Estado e do governo, Bolsonaro já demonstrou que percorre o caminho da traição nacional. Aliena as riquezas do país, firma acordos lesivos à autonomia do País e adere à estratégia neocolonialista de Donald Trump.

Por isso, o Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (CEBRAPAZ) rechaça mais esta agressão do governo Bolsonaro à Venezuela, país vizinho e amigo do Brasil, e expressa sua incondicional solidariedade ao povo irmão venezuelano. 

Conclamamos os movimentos sociais e políticos democráticos e patrióticos do nosso país a se pronunciarem no sentido de impedir as maquinações e aventuras do governo Bolsonaro na ONU.   

A Direção Executiva do CEBRAPAZ
04 de setembro de 2019