Entidades demandam premiação a brigada médica cubana; assista e apoie

Contingente Internacional de Médicos Especializados em Situações de Desastre e Epidemias Graves. Este é o nome da missão da Brigada Henry Reeve, criada em 2005 pelo pelo comandante Fidel Castro para levar assistência médica à nações sob graves riscos. Por reconhecer o tamanho da missão e as proezas alcançadas é que proliferam campanhas por todo o mundo demandando ao Comitê do Prêmio Nobel que a próxima galardoada seja a brigada internacionalista.

A assinatura em apoio à campanha pode ser realizada clicando aqui, página de iniciativa da Rede de Intelectuais, Artistas  e Movimentos Sociais em defesa da Humanidade – capítulo Brasil, proposta pelo teólogo e filósofo Leonardo Boff.

O portal de notícias Cuba Información lista alguns dos vários links circulando pela Internet das diversas campanhas promovidas mundo afora, em apoio à brigada médica cubana.

Estados Unidos, Itália, França, Grécia, entre tantos outros, são dezenas os países de onde a demanda parte, como relata a TeleSur, em 9 de junho:

As entidades e personalidades que promovem e aderem às campanhas ressaltam a valentia e o humanismo do povo cubano na assistência médica a populações sob maior risco, especialmente diante de epidemias como a de Ebola, que mais afetou o oeste africano em 2014 e 2015, e nos dias de hoje, enfrentando a pandemia de Covid-19. A abnegação dos valentes médicos e médicas cubanas que, em nome da solidariedade internacional, arriscam as próprias vidas, é um dos principais apelos ao restante das nações por maior cooperação e amizade entre os povos, sobretudo em tempos de crise.

Ressalte-se ainda que, como pontuou o Cônsul-Geral de Cuba em São Paulo Pedro Monzón em recente entrevista à TV Cebrapaz, Cuba implementa sua ação de solidariedade com dezenas de países em todo o mundo enquanto enfrenta o brutal bloqueio imperialista que os EUA mantêm sobre a ilha há seis décadas, preferindo adotar uma postura ofensiva e militarizada a cooperar com o restante do mundo. O contraste entre as políticas de um e de outro não podia ser maior.

Conforme ressalta Madeleine Sautié em artigo recente no Granma, são várias as proezas da brigada Henry Reeve, uma das mais de 30 brigadas cubanas levando assistência médica ao mundo com cerca de 2.500 profissionais, para enfrentar a pandemia enquanto países mais desenvolvidos preferem fechar-se em si mesmos. É composta por 36 médicos, 15 enfermeiros e um especialista em logística e conduziu cerca de 5.500 atendimentos médicos, 3.668 de enfermaria e 210 altas.

Seu trabalho foi reconhecido pela Organização Mundial da Saúde quando enfrentava o Ebola: a capacidade de resposta de Cuba em situações de crise e para ajudar as nações africanas afetadas pela epidemia foi classificada de incrível.

Assista o documentário sobre a Brigada Henry Reeve:


*Atualizada em 24 de junho para incluir a página de iniciativa da Rede de Intelectuais, Artistas  e Movimentos Sociais em defesa da Humanidade para apoiar a coleta de assinaturas.