Ícone do site CEBRAPAZ

CEBRAPAZ rechaça voto do Brasil no Conselho de Direitos Humanos da ONU contra Palestina 

A Palestinians protestor holding the Brazilian flag argues with an Israeli soldier during a demonstration on December 10, 2010 in the West Bank village of Bilin against Israel's separation barrier and to mark one year since the arrest by Israeli authorities of Palestinian activist Abdullah Abu Rahma, the coordinator of the Popular Committee against the Wall and Settlements in Bilin. Argentina said on December 6, 2010 it recognized a "free and independent" Palestinian state, days after Brazil drew sharp criticism from Israel and US lawmakers for taking the same step. AFP PHOTO/ABBAS MOMANI

O Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (CEBRAPAZ) repudia veementemente a posição que o governo de Jair Bolsonaro assumiu desde a sua posse contra os direitos do povo palestino, em aliança servil e fanática ao sionismo e ao governo de Israel. Mais recentemente, o desprezo do Governo Bolsonaro pelos direitos humanos, que se manifesta no nosso País e na política externa, definiu o seu posicionamento contrário à resolução do Conselho de Direitos Humanos da ONU sobre a situação gravíssima na Palestina ocupada por Israel.

No órgão composto por 47 países, 37 votaram a favor e sete se abstiveram na adoção da resolução de 24 de março, intitulada “Situação dos direitos humanos no Território Palestino Ocupado, incluída Jerusalém Oriental, e a obrigação de garantir a prestação de contas e a justiça” (clique aqui para ler, em espanhol). Apenas o Brasil, o Malawi e os Estados Unidos, potência patrocinadora dos crimes do regime israelense, votaram contra a sua adoção, o que não impediu o texto de passar aos arquivos da história de condenações ao regime e às políticas cotidianas do Estado de Israel de graves violações dos direitos humanos do povo palestino. 

É pela persistência da impunidade do regime israelense que se perpetua a ocupação, a colonização e o apartheid, sustentados por reiteradas e devastadoras ofensivas militares conduzidas por notórios criminosos de guerra, as prisões arbitrárias e prolongadas, os julgamentos falsários em cortes militares, a disseminação de centenas de colônias ilegais em terras palestinas confiscadas e postos de controle militar, a expulsão massiva e o espólio, as execuções e tantas outras barbáries cometidas diariamente pelo Estado de Israel.

O CEBRAPAZ, por isso, vem mais uma vez manifestar o seu rechaço total à política externa bolsonarista, que significou flagrante e inaceitável retrocesso da posição de apoio e solidariedade com o povo palestino, cujo Estado da Palestina o Brasil reconheceu há 12 anos. Expressamos a nossa incondicional solidariedade ao povo palestino na luta pelo seu direito à autodeterminação e demandamos o fim da impunidade do regime israelense pelas atrocidades que comete para sustentar a sua ocupação, o apartheid e a colonização da Palestina. 

Palestina Livre Já!

Sair da versão mobile