Na Rússia, presidenta do Conselho Mundial da Paz enfatiza o papel da Revolução de Outubro nas lutas dos povos

Nas comemorações pelo centenário da grande Revolução de Outubro, na Rússia, delegações e visitantes de todo o mundo celebraram a história como viva lição para o presente e o futuro. Nos eventos do Partido Comunista da Federação Russa (PCFR), entre 1º e 7 de novembro, em São Petersburgo e Moscou, a presidenta do Conselho Mundial da Paz Socorro Gomes enfatizou o legado de bravos revolucionários para a libertação dos povos e para a luta contínua pela paz. Leia seu discurso a seguir.

Discurso de Socorro Gomes, Presidenta do Conselho Mundial da Paz, no Centenário da Revolução de Outubro, eventos do Partido Comunista da Federação Russa
Novembro de 2017 | São Petersburgo e Moscou, Rússia

Queridas companheiras e queridos companheiros,

Estimados companheiros do Partido Comunista da Federação Russa,

Estimados representantes de partidos progressistas e organizações juvenis, sindicais, de mulheres e populares. É uma imensa honra participar na celebração do centenário da Revolução Russa.

socorro-gomes-russiaEm nome dos lutadores pela paz, o Conselho Mundial da Paz transmite ao Partido Comunista da Federação Russa a mais profunda gratidão pelo convite e a organização destes eventos de celebração de uma data gloriosa para o povo russo e para toda a humanidade.

Esta é uma oportunidade sem igual para o fortalecimento da esperança e da unidade entre as forças democráticas e progressistas do mundo que lutam pela emancipação social, a libertação nacional e a paz.

O Conselho Mundial da Paz tem a mais firme e profunda convicção de que sem o triunfo da Revolução Russa, não teria sido possível imaginar a paz e o triunfo dos povos contra a mais poderosa máquina de guerra que semeou dor inaudita para a humanidade.

A Revolução Russa foi realizada e foi vitoriosa em nome da paz, sob a inspiração da luta pela paz. E, de fato, assegurou a paz, que foi um dos seus principais decretos.

O grande escritor brasileiro Jorge Amado escreveu uma de suas obras baseado em uma visita que fez aos países socialistas após a Segunda Guerra Mundial. Ele a intitulou O Mundo da Paz, ao se referir aos países socialistas que herdaram a Revolução de Outubro.

De fato, a grande Revolução Russa e o sistema internacional socialista criaram a base poderosa para a luta por assegurar a paz mundial. A humanidade será eternamente grata ao povo soviético por seu heroísmo na luta para salvá-la do nazi-fascismo.

Da mesma forma, a Revolução Russa garantiu uma base de apoio importante para a luta por libertação nacional de povos oprimidos pelo imperialismo e o colonialismo. Foi a base para a poderosa luta por libertação nacional, por independência, sem as quais o progresso social é impossível. O país soviético foi uma fortaleza para a eliminação das correntes que oprimem e massacram os povos.

Por causa de seu compromisso com a paz e a libertação dos povos, o país soviético ajudou imensamente com sua força política e moral na criação e no fortalecimento do movimento mundial da paz. Daí o ódio das forças do imperialismo, a reação e a guerra contra os valores promovidos pela Revolução de Outubro.

Hoje, o imperialismo, sob a liderança dos Estados Unidos e seus aliados da União Europeia, da OTAN e da reação mundial, estão levando a cabo uma ofensiva brutal contra a paz e a soberania e direitos dos povos, as leis internacionais e a democracia. Colocam em risco a paz e a segurança das nações com suas bases militares, armas nucleares, a corrida armamentista, o militarismo, intervenções e golpes de estado.

Inspirado pelos ideais de luta pela paz e anti-imperialismo da Revolução de Outubro, o Conselho Mundial da Paz continua na luta pela libertação da humanidade de guerras, opressão e intervenções.

Estamos lutando contra todas as aventuras beligerantes do imperialismo hoje e expressamos nosso apoio aos povos que são alvo da ofensiva imperialista.

Destacamos as contribuições da China pela paz, o ímpeto do Vietnã pela consolidação de sua soberania e progresso social, a resistência da Coreia Popular, a luta tenaz de Cuba contra o bloqueio e suas vitórias incontestáveis.

Estamos com a Revolução Bolivariana da Venezuela, a luta do povo palestino contra a ocupação sionista, a resistência heróica da Síria e a justa luta do povo ucraniano e todos os povos da Europa contra o fascismo, em suas novas expressões.

Reafirmamos nosso compromisso com um futuro de paz e progresso para todos os povos, de solidariedade internacional e liberdade, em que todos possamos construir processos soberanos de emancipação nacional e social.

Juntos, sabemos que podemos honrar os heróis e mártires da humanidade e mostrar que seus sonhos, esperanças e desejos são possíveis, em resistência persistente e corajosa contra a dominação, as guerras, a opressão e a exploração nacional e social.

A luta continua, pela paz, a justiça e a fraternidade entre os povos. Por isso, é indispensável a mais ampla unidade possível entre todos os que lutam pela causa comum da paz, da democracia, justiça, os direitos dos povos e o progresso social.

Segue vigente o desejo por um mundo de paz.

Viva a gloriosa Revolução de Outubro! Viva a resistência, unidade e luta dos povos pela paz e a solidariedade internacional!