Debate sobre a Revolução Bolivariana aborda desafios e a luta dos venezuelanos na defesa das conquistas

Parte da Semana Mundial de Solidariedade à Revolução Bolivariana, convocada pela Articulação dos Movimentos Sociais da Alternativa Bolivariana para os Povos da Nossa América (Alba), o debate da quinta-feira (5/3), em São Paulo, foi profícuo e abordou as lutas dos latino-americanos enquanto parte do processo integracionista. Os participantes ressaltaram que a avaliação da conjuntura na América Latina, especialmente na Venezuela, deve servir à mobilização popular na defesa dos rumos progressistas em diversos países, como é o caso também do Brasil.

No debate, realizado pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra e pelo Centro de Estudos da Mídia Barão de Itararé, participaram a presidenta do Cebrapaz, Socorro Gomes, o professor de Relações Internacionais da Universidade Federal do ABC (UFABC) Igor Fuser e o jornalista e editor do portal Opera Mundi, Breno Altman. Esteve presente também o cônsul da Venezuela, Robert Torrealba.

Leia também: 
Movimentos sociais da Alba realizam ato político pela Venezuela em São Paulo
Cebrapaz manifesta apoio ao povo venezuelano contra a ameaça de sanções do imperialismo

 O evento aconteceu no aniversário de dois anos desde a morte do líder venezuelano Hugo Chávez, o que colocou seu legado no topo da pauta. Os debatedores analisaram o histórico em que os latino-americanos e caribenhos construíram um novo posicionamento internacional e regional, investindo na soberania nacional e na integração como instrumentos de melhoria das condições de vida.

Socorro Gomes enfatizou a transformação da América Latina desde a chegada de Hugo Chávez ao governo, em 1998. Para a presidenta do Cebrapaz, o papel de Chávez foi fundamental no impulso ao processo integracionista, contestando a influência do imperialismo no continente, até então considerado o seu quintal. Socorro acaba de retornar da Venezuela, onde esteve em uma missão de solidariedade, como presidente do Conselho Mundial da Paz. Ela pontuou os avanços mais relevantes e visíveis do país nas áreas sociais, como a educação, a saúde e o emprego, sobretudo a partir da apoderação, por parte dos venezuelanos, do seu principal recurso, o petróleo, antes nas mãos do capital privado e internacional.

socorro barao itarare

Breno Altman ponderou os avanços e os desafios ainda enfrentados tanto pelos venezuelanos quanto por brasileiros, no contexto da contraofensiva da direita e da oligarquia aliadas ao imperialismo estadunidense. Para o editor, que enfatizou questões delicadas do processo revolucionário na vizinha Venezuela e no Brasil, os obstáculos que se apresentam assentam-se primordialmente em questões econômicas que precisam ser dirimidas, pois deixam o país e a sociedade vulneráveis tanto às crises reais quanto às manipulações midiáticas.

altman

O professor Igor Fuser também avaliou as intensas transformações sociopolíticas na Venezuela ao longo dos anos em que brotou e se enraizou o “chavismo”, que traçou um planejamento do processo pelo qual o país caminharia. Neste sentido, Fuser enfatizou a importância da apoderação da exploração do petróleo pela Venezuela, detentora da maior reserva mundial deste recurso tão estratégico. O professor também notou a relevância da conjuntura política no Brasil para os venezuelanos, que acompanharam as últimas eleições com apreensão.

fuser

Para os debatedores, que têm vasta experiência na questão venezuelana e presenciaram diferentes momentos do processo bolivariano, a análise deste histórico ajuda na compreensão do posicionamento atual da extrema-direita aliada ao imperialismo estadunidense e na ponderação dos rumos a seguir para a superação de desafios reais. Já Socorro priorizou o fortalecimento da solidariedade regional e internacional ao povo venezuelano na defesa das suas conquistas, para que não haja retrocessos e para que a ingerência estadunidense não prevaleça. O mesmo vale para o momento em que se encontra o Brasil, notaram os participantes, para quem a mobilização popular continua essencial.

Nesta sexta-feira (6/3), um ato político cultural também será realizado no auditório do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (APEOESP), às 19h00.

banner

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s