Ameaças de Trump contra a Venezuela são uma afronta e devem ser condenadas

Diversos movimentos sociais e governos afirmam seu contundente repúdio às declarações do presidente estadunidense Donald Trump desta sexta-feira (11), segundo as quais os EUA, que têm “tropas em todo o mundo, em lugares muito distantes”, não descartam a “opção militar” contra a Venezuela, mais próxima.

O Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz) rechaça constantemente a ingerência sustentada pelos EUA e aliados nos assuntos domésticos do país irmão, em determinada agressividade contra o governo bolivariano do presidente Nicolás Maduro, e une-se às vozes indignadas de denúncia do posicionamento beligerante de Trump.

No sábado (12), já se pronunciaram contra a ameaça de Trump até mesmo os países do Mercosul, que recentemente suspenderam a Venezuela do bloco, em claro atentado contra as regras internacionais de não-ingerência nos assuntos internos das nações, em consonância com os interesses do imperialismo estadunidense de desestabilização e isolamento do país.

Entretanto, a ameaça em tom displicente feita por Trump é uma afronta a toda a América Latina e o Caribe e deve assim ser repudiada, assim como pela afronta à soberania nacional venezuelana.

Em solidariedade ao povo irmão da Venezuela, inclusive ao Comitê de Solidariedade Internacional (COSI), organização amiga, seguimos em apoio determinado à luta dos venezuelanos e das venezuelanas em defesa da sua democracia, de um governo legitimamente eleito e progressista que busca aprofundar os rumos da Revolução Bolivariana, conforme a vontade popular expressa nas urnas e nas ruas.

Acompanhamos a demanda por soluções pacíficas, democráticas e soberanas à crise instaurada na Venezuela, alentada por forças opositoras reacionárias, violentas e patrocinadas pelos EUA.

Não nos curvaremos diante das ameaças do imperialismo estadunidense!

Viva o valente povo venezuelano e a democracia bolivariana!

Antônio Barreto, presidente do Cebrapaz