Socorro Gomes: Em apoio ao povo nicaraguense na defesa do diálogo soberano pela paz!

Reforçando a solidariedade ao povo e ao governo legitimamente eleito da Nicarágua na defesa da soberania nacional e da democracia, as forças da paz na América Latina e no mundo acompanham com preocupação o desenrolar da crise no país centro-americano. Deve ficar evidente que a ingerência estrangeira na Nicarágua tem agravado a situação e deve ser repudiada!

Imagem relacionada

O Conselho Mundial da Paz e outras forças populares têm denunciado a onda de golpes ou intentonas em toda a América Latina e Caribe promovidas em conluio entre as oligarquias nacionais e regionais e seus patrões, os Estados Unidos. O caso da Nicarágua, em que o povo e a Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN) têm um legado histórico de valente resistência contra as agressões dos EUA, é um deles.

Por isso, manifestamos nosso apoio ao povo nicaraguense e ao governo da Frente Sandinista, liderado por um presidente legitimamente eleito, Daniel Ortega, na resistência às intentonas de golpe e na demanda por diálogo para superar, soberanamente, a crise instaurada no país.

É tática conhecida a instrumentalização de justas demandas dos povos por direitos e pelo aprofundamento da democracia, ou em tempos de crise econômica nascidas no contexto de crise global ou artificialmente fomentadas, para causar a desestabilização. Uma guerra midiática tem estimulado o ambiente de virulência e antagonismo no país, contra o governo sandinista.

São criados violentos grupos paramilitares ou movimentos de histórico obscuro e, quando desvendados, de comprovada ligação com agências, deputados e institutos estadunidenses conhecidos por estimular forças desestabilizadoras para causar as “mudanças de regime”, como componentes dos golpes de estado ou das crises que provocam guinadas conservadoras e neoliberais em diversos países.

Além disso, a Frente Sandinista tem sido alvo de atos de terror articulados por setores da oligarquia local, patrocinada pelos Estados Unidos. Na disseminação do ódio, as forças reacionárias e seus grupos paramilitares atuam com brutalidade e já assassinaram mais de cem pessoas, a maioria delas identificadas com a Frente. Tais atos horrendos devem ser repudiados nos mais firmes termos!

Conforme denunciamos recentemente, o objetivo de tal ignomínia é precipitar a derrubada do governo Ortega para possibilitar a instalação de um governo fantoche do imperialismo estadunidense, contando com a demonização do sandinismo, movimento patriótico de papel vivo na resistência anti-imperialista, para fomentar o antagonismo e a violência no país.

Exigimos, por isso, o fim da ingerência estrangeira na crise da Nicarágua, para que um diálogo nacional democrático e soberano possa avançar. Já vimos os efeitos que uma crise prolongada e artificialmente sustentada pela intromissão imperialista e pelo antagonismo servil e virulento das forças reacionárias e das oligarquias pode ter em demasiadas situações, embora tais efeitos e suas vítimas sejam calculados como meros danos colaterais na conta geral para a promoção dos interesses das potências.

Pela soberania popular e nacional da Nicarágua e o fim da ingerência imperialista!
Em solidariedade ao povo nicaraguense e ao seu governo legitimamente eleito!

Socorro Gomes
Presidenta do Conselho Mundial da Paz