Cebrapaz repudia ameaças dos EUA contra o Irã e a renúncia ao acordo nuclear

A saída unilateral dos EUA do Acordo Nuclear com o Irã, anunciada nesta terça-feira (8) pelo presidente Donald Trump, representa mais um perigoso movimento político de Washington. É evidente a tentativa de sabotar o acordo arduamente construído entre as seis potências mundiais, com anuência e acompanhamento das organizações e agências multilaterais.

Imagem relacionada

Momentos após anunciar a retirada dos EUA do Plano Conjunto de Ação Abrangente, Trump assinou um memorando pela retomada do amplo pacote de sanções contra o país persa que havia sido suspenso pelo acordo. “Vamos instituir o mais alto nível de sanção econômica; qualquer nação que ajude o Irã em sua empreitada nuclear também poderá ser fortemente sancionado pelos Estados Unidos,” ameaçou.

Às custas da soberania do Irã e da paz mundial, os EUA reiteram sua política externa unilateral e intervencionista para atender aspirações do complexo industrial-militar, do setor financeiro de Wall Street, de corporações petrolíferas e do seu aliado em permanente ofensiva no Oriente Médio, Israel, cujo premiê Benjamin Netanyahu tem sido amplamente noticiado promovendo uma campanha acirrada contra o Irã.

As guerras impostas nesse contexto movimentam a economia estadunidense e servem à busca por reafirmar sua hegemonia às custas da desestabilização de países e a destruição de povos.

Aliás, em nome da segurança global e da democracia, os EUA e seus aliados da OTAN destruíram o Afeganistão, Iraque e Líbia – além da insistência em levar a Síria para o mesmo caminho. Em nome da Guerra Global ao Terror, patrocinam a insurgência terrorista e praticam o terror de Estado Imperial.

O Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (CEBRAPAZ) condena mais essa escalada imperialista dos EUA e conclama os povos à luta pela paz e desenvolvimento mundiais. Neste contexto, estamos chamados a cerrar fileiras pela defesa da soberania iraniana e por uma saída diplomática para a crise a partir dos termos do acordo nuclear firmado.

 Direção Nacional – CEBRAPAZ | 8 de maio de 2018