Entidades latino-americanas e caribenhas divulgam manifesto em apoio ao povo saaráui

Um grupo de entidades de ao menos oito países latino-americanos e caribenhos divulgou nesta quinta-feira (10) um manifesto em apoio ao povo saaráui, no aniversário da Frente Popular pela Libertação de Saguía el-Hamra e Rio de Ouro (Polisario). Há 45 anos, o povo saaráui organizava a luta anticolonial que hoje se mantém com a resistência contra a ocupação marroquina do Saara Ocidental. O Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta Pela Paz (Cebrapaz) é uma das organizações promotoras do manifesto, que ainda está aberto a adesões.

MANIFESTO | COMUNICADO

Organizações latino-americanas e caribenhas de apoio à autodeterminação do povo saaráui saúdam o 45º aniversário da Frente POLISARIO, único e legítimo representante do povo saaráui

No marco do 45º aniversário de fundação da Frente Popular para a Libertação de Saguía el Hamra y Río de Oro (Frente POLISARIO), as organizações latino-americanas e caribenhas que subscrevem este manifesto/comunicado reiteram, uma vez mais, seu firme compromisso com a justa causa do povo saaráui e sua luta pelo direito à autodeterminação e a plena independência e soberania de sua nação. A resistência anticolonial ao Reino da Espanha e a subsequente luta contra a ocupação do Saara Ocidental pelo Reino do Marrocos são respostas legítimas às pretensões inaceitáveis das forças de ocupação que têm como propósito evadir a legalidade internacional e os compromissos globais com o fim do colonialismo no século 21.

Saudamos a inquebrantável vontade e resistência do povo saaráui no aniversário da Frente POLISARIO, único e legítimo representante do povo saaráui!

As e os saaráuis seguirão enfrentando a inação e a negligência internacional e denunciarão o silêncio cúmplice das potências europeias e outras, que permitem até este momento a ilegal e ilegítima ocupação marroquina. São mais de quatro décadas de refúgio, despojo, exílio forçado, pilhagem e ocupação militar, desde a invasão do Saara Ocidental pelo Marrocos e o inescrupuloso abandono e traição da Espanha ao povo saaráui, em 1975, descumprindo suas obrigações de concluir a descolonização, decidida pela comunidade internacional.

As organizações latino-americanas e caribenhas denunciam as ambições expansionistas do Reino do Marrocos, seu afã por perpetuar a ocupação ilegítima, as violações sistemáticas dos direitos humanos nos Territórios Ocupados — que incluem detenções arbitrárias, torturas, perseguição a ativistas da resistência pacífica e deportações de jornalistas, acadêmicos e até parlamentares de países amigos –, o espólio de recursos naturais, em sua maioria, por empresas e corporações marroquinas e europeias, a manutenção de um muro de caráter militar de mais de 2.700 quilômetros que divide o Saara Ocidental e a população saaráui. Todos estes fatos são graves violações do direito internacional dos direitos humanos e do direito internacional humanitário.

Desde a América Latina e o Caribe consideramos este aniversário uma nova oportunidade para render homenagem à resistência do povo saaráui e, além disso, assinalar a vontade de várias associações, comitês e indivíduos que trabalham pela causa saaráui, pelo direito à autodeterminação do povo saaráui e a plena independência e soberania da sua nação, de iniciar e consolidar um processo organizativo de apoio permanente à República Árabe Saaráui Democrática (RASD), seus líderes políticos e organizações de massas, representados pela Frente POLISARIO, e a todas e todos os saaráuis nos campos de refugiados, nos territórios ocupados, nos territórios liberados e na diáspora, de acompanhar este processo de libertação nacional até alcançarem um Saara Ocidental livre, soberano e independente.

As organizações latino-americanas são solidárias com a resistência anticolonial e a libertação do Saara Ocidental e somaremos esforços para promover esta luta em nossa região, através do impulso de um amplo processo de articulação latino-americano e caribenho, a partir deste ano.

Este processo articulador através de organizações, associações e indivíduos na Argentina, no Brasil, Chile, Colômbia, Equador, México, Panamá, República Dominicana, Uruguai e Venezuela, assim como outros países latino-americanos e caribenhos, estende o convite a movimentos e organizações sociais, sindicais e de direitos humanos, entre outras, a aderir a esta iniciativa a favor do povo saaráui.

Só um processo dessa natureza permitirá fortalecer o apoio à luta do povo saaráui por sua autodeterminação e a plena independência e soberania de sua nação.

Pela descolonização e o fim da ocupação marroquina do Saara Ocidental!

Viva a resistência saaráui!


Amigos por un Sáhara Libre (México)

Asociación Chilena de Amistad con la RASD (Chile)

Asociación Colombiana de Amistad con el Pueblo Saharaui, ACOLPS (Colômbia)

Asociación Latinoamericana de Amistad con la RASD (Chile)

Asociación de Solidaridad y por la Autodeterminación del Sáhara Occidental, ASAHARA (Brasil)

Asociación Ecuatoriana de Amistad con el Pueblo Saharaui, AEAPS (Equador)

Asociación Mexicana de Amistad con la República Árabe Saharaui A.C., AMARAS (México)

Asociación Panameña Solidaria con la Causa Saharaui, APASOCASA (Panamá)

Asociación por la Vida y la Paz Global (Perú)

Asociación Uruguaya de Amistad con la República Saharaui (Uruguai)

Asociación Venezolana de Solidaridad con el Sáhara, ASOVESSA (Venezuela)

Centro de Documentación en Derechos Humanos “Segundo Montes Mozo S.J.”, CSMM (Equador)

Centro de Políticas Públicas y Derechos Humanos – Perú EQUIDAD (Perú)

Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz — CEBRAPAZ (Brasil)

Comité de Amistad con el Pueblo Saharaui de la República Argentina (Argentina)

Comisión Nacional de los Derechos Humanos, CNDH (República Dominicana)

Comité Permanente por la Defensa de los Derechos Humanos, CDH (Equador)

Confederación de Trabajadores del Ecuador, CTE (Equador)

Frente Popular (Equador)

Fundación Constituyente XXI (Chile)

Liga Argentina por los Derechos del Hombre (Argentina)

Unión General de Trabajadores del Ecuador, UGTE (Equador)

América Latina, 10 de maio de 2018


Para adesões, enviar o nome e os contatos da organização a lac.saharalibre@gmail.com ou preencher o formulário através do blog da iniciativa.