União da Juventude Saaráui emite apelo pela proteção da população sob ocupação marroquina

O Deparamento de Relações Internacionais da União da Juventude de Saguía el-Hamra e Río de Oro (UJSARIO) lançou uma nota à imprensa nesta segunda-feira (22) em que apela à Organização das Nações Unidas pela proteção dos saaráuis sob ocupação militar do Marrocos, no Saara Ocidental, e às entidades solidárias que lancem campanhas para denunciar a situação. Diversas entidades de todo o mundo se manifestaram. Reagindo à brutal repressão de manifestações em várias cidades desde 19 de julho, que resultou na morte de uma jovem e na detenção de dezenas de outros ativistas, a UJSARIO denuncia violações dos direitos humanos e do cessar-fogo entre Marrocos e a Frente POLISARIO, pendente da realização de um referendo pela autodeterminação saaráui. Leia o texto a seguir:

Bir Lehlou, Saara Ocidental, 22 de julho de 2019

Nota à Imprensa

O Departamento de Relações Internacionais da União da Juventude de Saguía el-Hamra e Río de Oro (UJSARIO) acompanha de perto o drástico e perigoso deterioramento da situação dos direitos humanos no território ocupado do Saara Ocidental.

Desde a última sexta-feira à noite, pouco depois da vitória da seleção argelina de futebol, um ataque histérico e a opressão sistemática de todas as forças da ocupação marroquina foram lançados contra civis saaráuis pacíficos que estavam celebrando a vitória do time argelino. Estes ataques violentos e brutais resultaram no assassinato deliberado de uma jovem cidadã saaráui que foi atropelada por dois veículos das forças auxiliares. Este crime foi cometido em violação de todas as convenções, cartas e leis internacionais.

Enquanto isso, centenas de jovens saaráuis marchavam pacificamente para celebrar a vitória da Argélia na partida final da Copa das Nações Africanas 2019 e foram reprimidos e perseguidos pela polícia e o exército marroquino, que não hesitaram em usar balas de borracha, munição letal e água quente para perseguir e dispersar os saaráuis. Em seguida, muitos menores de idade e outros jovens saaráuis foram detidos e logo levados à delegacia de polícia, onde continuam sob custódia e tortura. Na manhã seguinte, muitas casas e comércios foram vasculhados pela força-tarefa especial da polícia, que usou força excessiva contra as famílias atemorizadas. As detenções ainda estão ocorrendo na cidade de El-Aaiun onde a polícia e os serviços secretos do Rei estão procurando por vários saaráuis pró-autodeterminação. Relatos de testemunhas informam do reforço policial e militar vindo do Marrocos para as cidades do Saara Ocidental.

O Departamento de Relações Internacionais da UJSARIO está profundamente preocupado e nota a gravidade do ataque retaliatório da polícia, de policiais à paisana, das forças auxiliares, do exército e das forças de intervenção rápida contra a juventude saaráui. Além do assassinato da jovem saaráui Sabah Othman Ahmeida, atropelada por um veículo das forças auxiliares marroquinas, mais de 200 jovens saaráuis ficaram feridos por balas de borracha e latas de gás lacrimogêneo, e ainda mais de 80 rapazes foram detidos.

As câmeras de várias organizações e associações saaráuis de direitos humanos nas cidades ocupadas do Saara Ocidental mostraram que as forças de segurança marroquinas espancaram os manifestantes, usando paus e cacetetes, assim como lançando pedras diretamente contra os manifestantes e conduzindo seus veículos de quatro rodas contra os manifestantes, deixando para trás muitos feridos.

Somada a estas graves violações dos direitos humanos está a flagrante violação dos acordos de cessar-fogo de 1991 assinados entre a Frente POLISARIO e o regime de ocupação marroquino, sob os auspícios das Nações Unidas. Nós, do Departamento de Relações Internacionais da UJSARIO, declaramos à opinião pública internacional o seguinte:

– Nossa inteira, firme e incondicional solidariedade com a família da mártir Sabah Othman Ahmida
– Nossa firme condenação do hediondo crime de assassinato cometido pelas autoridades da ocupação marroquina, que integra o quadro de assassinatos de limpeza étnica.

– Instamos todas as organizações internacionais e órgãos e organizações do mundo a se comunicarem com as Nações Unidas e o Conselho de Segurança sobre esta grave situação, para que assumam sua histórica responsabilidade e levem a cabo uma missão de inquérito que deverá conduzir uma investigação justa e imparcial do assassinado da jovem saaráui Sabah Othman Omeida (Sabah Injorni)

– Instamos o Conselho de Direitos Humanos e o Alto Comissariado para os Direitos Humanos a estabelecer o mandato para um relator especial sobre violações dos direitos humanos no território ocupado do Saara Ocidental e convidamos todas as organizações e órgãos nacionais e internacionais a conduzir campanhas de conscientização que visem pressionar o regime de ocupação marroquino, pela libertação de todos os prisioneiros políticos saaráuis das prisões marroquinas encarcerados por causa de suas posições políticas de reivindicação do direito do povo saaráui à autodeterminação e à independência.

Departamento de Relações Internacionais da UJSARIO
Email: ujsariointernational@gmail.com
Telefone: 00213664967347

Tradução do Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz)