Socorro Gomes: Solidariedade e luta ao lado dos refugiados

Neste 20 de junho, Dia Internacional dos Refugiados estabelecido em 2001 pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), defensores dos direitos humanos discutem e denunciam as condições precárias, as políticas xenófobas e omissas, as causas e as consequências das guerras e das catástrofes das quais cerca de 65 milhões de pessoas buscam refúgio em todo o mundo, enquanto a ONU impulsiona uma campanha de apoio e por engajamento. A presidenta do Conselho Mundial da Paz, Socorro Gomes, emitiu uma nota que reafirma o compromisso da entidade com a luta dos refugiados pelo direito à vida e ao futuro enquanto denuncia as políticas belicosas e a negligência de que milhões de pessoas são vítimas repetidamente. Leia o texto a seguir.

Solidariedade e luta ao lado dos refugiados!

Neste Dia Internacional dos Refugiados, somamo-nos às milhões de pessoas vítimas das guerras, das catástrofes humanitárias, do colonialismo ou da ocupação militar, da perseguição e da ameaça constante às suas vidas, que partem em busca de refúgio deixando seus lares, países e, muitas vezes, famílias, para trás.

O Conselho Mundial da Paz soma-se à sua exigência por atenção e compromisso, responsabilidade e ação na sua proteção, na garantia dos seus direitos humanos e na promoção da sua integridade física e psicológica na busca por segurança e sobrevivência.

Somamo-nos à sua denúncia reiterada e seu brado valente contra a hipocrisia de líderes burocratas que governam países ou instituições internacionais que muitas vezes partilham parte da responsabilidade pelo sofrimento de dezenas de milhões de mulheres, crianças, idosos, homens e jovens, que depositam suas esperanças na solidariedade internacional.

Reiteramos, por isso, o compromisso e os princípios que nos guiam na luta contra o imperialismo movido a guerra, ameaça, exploração, das quais hoje a ONU estima que 65 milhões de pessoas sejam vítimas. Além disso, denunciamos enfática e reiteradamente a política xenófoba que tem guiado as ações de grande parte dos países europeus e dos EUA, que preferem construir muros e limitar o número de pessoas que recebem a cumprir seus compromissos com a humanidade para proteger os vulnerabilizados.

O Conselho Mundial da Paz reforça sua declaração de solidariedade com os refugiados, adotada em nossa Assembleia em novembro de 2016, neste e em todos os outros dias. Homenageamos a valentia e a resistência desses milhões de seres humanos e somamo-nos à sua revolta pela forma com que são tratados em demasiados países, muitos deles responsáveis pela sua condição.

Apoiamos ainda a reivindicação de cada vez mais pessoas nesta situação por um espaço nos fóruns internacionais para a sua participação ativa, para que possam se representar, aprofundar e fortalecer sua luta pela dignidade e por seus direitos humanos mais fundamentais, inclusive o direito à vida e a um futuro em segurança. Reforçamos, por isso, a nossa luta determinada contra as guerras e a opressão, a ameaça e a xenofobia, a omissão e a negligência!

Socorro Gomes
Presidenta do Conselho Mundial da Paz