Cebrapaz repudia a violência xenófoba, em solidariedade aos venezuelanos no Brasil

Resultado de imagem para venezuelanos roraima brasilO Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz) repudia a violência contra imigrantes venezuelanos em Roraima, no norte do Brasil, que já teria levado mais de mil pessoas a deixar o país. Trata-se de uma manifestação xenófoba que não cabe numa nação tão rica por sua diversidade. É uma consequência dos discursos insuflados contra nossos vizinhos e do ambiente de tensão política cada vez mais extremado, fomentado pela direita reacionária em nosso país. 

Os venezuelanos e venezuelanas que recebemos deixam o seu próprio país devido ao agravamento da crise interna, por sua vez também fomentada por forças reacionárias que não medem as consequências das suas ações para desestabilizar e derrubar o governo de um presidente legitimamente eleito, Nicolás Maduro.

Como as forças de direita raivosas e virulentas na Venezuela, ineptas para o diálogo, a direita brasileira tem alimentado um ambiente de tensões, perseguição e preconceito no Brasil. Além disso, o governo ilegítimo de Michel Temer participa da ingerência estrangeira nos assuntos domésticos venezuelanos, contribuindo para a sua desestabilização e a crise.

É corrente a emigração de brasileiros e brasileiras para a Venezuela e a imigração de venezuelanos e venezuelanas no Brasil. De acordo com o Relatório das Nações Unidas sobre Migração Internacional de 2017, havia mais brasileiros vivendo na Venezuela do que o contrário, naquele ano.

A tendência mundial é de aumento significativo da migração, mas grande parte das nações tem lidado com o trânsito de pessoas como questões securitárias, como ameaças. Por isso, em 2018, no relatório da Organização Internacional de Migrações, o apelo por uma atenção especial aos direitos dos migrantes e sua proteção é reforçado. Neste compromisso, as regiões que mais recebem migrantes, caso do norte do Brasil com relação aos venezuelanos, devem ser apoiadas pelos órgãos nacionais competentes para possibilitar recepção digna dos imigrantes e a sua integração.

É falaciosa a noção de uma “invasão” do país por números elevados de venezuelanos (frequentemente taxada, também de forma falaciosa, de “crise de refugiados”, numa reprodução insensata da narrativa já equivocada e irresponsável veiculada na Europa e nos EUA). O intercâmbio e a solidariedade regional sempre foram bandeiras centrais dos governos progressistas, com o devido respeito à igualdade de soberania entre as nações.

É com grande pesar que assistimos às manifestações violentas de brasileiros contra irmãos e irmãs venezuelanos que vieram ao país em busca de condições diferentes de vida enquanto seu próprio país, em meio à construção de um processo revolucionário de avanços históricos em prol da justiça social e econômica, passa por desafios diversos intensificados pela crise promovida por anos de guerra midiática, política e financeira contra a Venezuela.

Expressamos nossa resoluta solidariedade ao povo venezuelano e afirmamos com toda a ênfase que tal violência xenófoba não nos representa! Exigimos que as autoridades brasileiras garantam os direitos humanos dos imigrantes venezuelanos independentemente da “regularidade” da sua situação no país, uma vez que os compromissos com a dignidade e a segurança das pessoas são compromissos universais.

Apelamos às forças democráticas que somem esforços para expressar aos imigrantes em nosso país que são bem-vindos. A solidariedade entre os povos é princípio elementar da nossa luta pela paz, pela democracia e pelo progresso compartilhado e, como temos visto ao longo da história do Brasil, a diversidade nos engrandece.

Pela paz, a amizade e a solidariedade entre os povos!

Antônio Barreto
Presidente do Cebrapaz