Brasileiros manifestam solidariedade a Cuba

Aconteceu em Porto Alegre neste final de semana (4,5 e 6 de junho) a 18ª Convenção Nacional de Solidariedade a Cuba. O evento, realizado anualmente, reafirma a amizade e a solidariedade brasileira ao povo cubano – contra o perverso bloqueio econômico, comercial e financeiro imposto pelos EUA.

A 18ª edição da convenção teve a participação de 300 delegados de 13 estados brasileiros, autoridades cubanas, representantes da sociedade civil organizada, centrais sindicais e partidos políticos. Também estiveram presentes o deputado estadual e presidente do PT do Rio Grande do Sul, Raul Pont, o presidente da Frente Parlamentar Gaúcha de Solidariedade a Cuba e deputado estadual Raul Carrion (PCdoB-RS), a deputada federal Manuela D'Ávila (PCdoB-RS) e a presidente do Conselho Mundial da Paz, Socorro Gomes.

Durante os três dias do evento foram travados importantes debates sobre a conjuntura mundial, o bloqueio imposto pelos EUA e as relações entre o Brasil e Cuba.

Os participantes discutiram também o direito inalienável dos cubanos de decidir sobre o futuro do seu próprio país. Segundo Socorro Gomes os EUA se ressentem porque Cuba é um exemplo para todo o mundo de que é possível construir uma nação com valores diferentes aos difundidos por eles. “Eles não aceitam o fato de os cubanos construírem seu próprio futuro. Os EUA não toleram outra forma de vida que não a deles”.

A convenção aprovou por aclamação a Carta de Porto Alegre – firmada por todas as entidades presentes – que rechaça a atual campanha midiática contra Cuba, exige o fim imediato do ilegal bloqueio econômico, o respeito à soberania do povo cubano e a libertação dos cinco heróis cubanos presos nos Estados Unidos.

Socorro reafirmou que a prisão e condenação dos cinco patriotas cubanos nos Estados Unidos é ilegal. “Depois de reunirem documentos e fitas que comprovam os ataques contra Cuba e Fidel Castro, os cinco heróis cubanos foram presos e condenados, em um falso julgamento. Dois desses heróis foram injustamente condenados à prisão perpétua, e um deles foi condenado a duas prisões perpétuas. Defendemos a libertação imediata dos heróis”.

Um dos pontos altos da Convenção foi a homenagem aos 50 anos do Instituto Cubano de Solidariedade aos Povos (ICAP) – entidade que desenvolve intenso trabalho de mútua solidariedade entre Cuba e mais de cem países do mundo.

A presidente do Conselho Mundial da Paz ressaltou ainda o espírito solidário cubano. “Cuba é um exemplo de solidariedade por doar médicos e educadores para diversos países de todo mundo”, afirmou Socorro.

Durante o evento dois pronunciamentos foram especialmente marcantes: o informe do secretário do Conselho de Estado Cubano, Homero Acosta, sobre a realidade cubana atual e a palestra do reitor da Escola Latino Americana de Medicina (Elam) Juan Carrizo, sobre o intenso trabalho solidário desenvolvido pelos médicos cubanos no mundo. Particularmente emocionante foi a palestra de Magaly Llort Ruiz, membro do parlamento cubano e mãe de Fernando Gonzalez, um dos cinco patriotas encarcerados injustamente nos Estados Unidos.

A convenção foi encerrada na manhã de domingo (06) com uma apresentação musical no Parque da Redenção que contou com a participação de cantores gaúchos, cubanos e de outros países da América Latina.

Deixe uma resposta