Cerca de 20 mil documentos comprovam o apoio dos EUA ao golpe de Pinochet, no Chile

Cerca de 20 mil documentos que demonstram a intervenção dos Estados Unidos no golpe militar contra o ex-presidente chileno Salvador Allende foram entregues ao Museu da Memória e os Direitos Humanos, nesta quinta-feira (18), em Santiago, capital do país.

Durante a apresentação dos arquivos abertos na referida instituição, Peter Kornbluh, diretor do Chile Documentation Project do National Archive, da Universidade George Washington, qualificou o ex-secretário de Estado norte-americano Henry Kissinger de arquiteto dos planos de Washington contra Allende.

Kissinger era a pessoa responsável por ajudar econômica e militarmente a Augusto Pinochet a consolidar seu regime, destacou Kornbluh, autor de vários livros sobre a ditadura militar chilena (1973-1990).

Entre os textos, compilados em bases de dados, há também transcrições de conversas entre Pinochet e o ex-chefe da polícia secreta (DINA), Manuel Contreras, alusivas ao assassinato do ex-chanceler chileno Orlando Letelier.

"Estes documentos devem contribuir a fazer avançar a justiça e a dignidade no Chile", afirmou Kornbluh.

"Obviamente os textos têm um valor especial em determinados casos de investigações oficiais. Agora existe uma base de dados que poderá servir de ajuda para os que buscam informações mais detalhadas", agregou.

No ato de entrega da documentação à diretora do Museu da Memória e dos Direitos Humanos, Romy Schmidt, foi destacado o significado da doação que permite contar com referências históricas em torno da cumplicidade dos Estados Unidos para sustentar o regime militar no Chile.

Fonte: Prensa Latina

Deixe uma resposta