Repressão e terror na cidade ocupada de Dakhla

Após o bloqueio total na cidade ocupada de Dakhla no Sahara Ocidental exercida por unidades do exército e forças de intervenção rápida da polícia marroquina, começaram as prisões em massa contra o povo saraui, invadindo suas casas, quebrando portas, janelas e equipamentos, a população saharaui em Dakhla está totalmente aterrorizada.

As forças de segurança destroem  todos os bens do povo saraui, chegando inclusive a quebrar os vidros dos veículos estacionados na rua.

Durante a manhã de hoje (29) continuaram chegando  na cidade sitiada, reforços policial e militar.

O nível de repressão tem aumentado, não só pela quantidade de unidades militares e policiais existentes, bem como pelo controle exercido na entrada da cidade nos bairros onde o povo saraui habita, mas pelo assédio continuou e o abuso físico e verbal que sofrem de maneira indiscriminadamente por parte das unidades da polícia e do exército marroquino. Duas mulheres sarauis a Sra. Almastahya Buchaab  e Sra. Teslam Lafdil foram barbaramente espancadas pelo exército na frente de seus filhos.

Esta manhã, as famílias dos detentos, que se reuniram em protesto exigindo a libertação de seus parentes no bairro de Tounsi Hum, foram violentamente dispersos pela polícia. Familiares mostram seu medo quando vêm perguntar sobre  seus filhos em delegacias de polícia, já que alguns foram torturados como é o caso da Sra. Hadi Ahmed Salem, quando se interessou pelo estado do seu filho Sidati Haybab Al Makhtar, ficou gravemente ferida, assim como outras mulheres.

Durante a tarde de ontem (28) continuou a escalada de prisões na cidade, embora nesses momentos, dado o estado de sítio e terror é difícil obter informação, a polícia marroquina gerencia uma lista de busca e apreensão de sarauis; gradualmente, se vão conhecendo os nomes dos mais de 45 jovens presos na cidade ocupada de Dakhla.

Ante os graves acontecimentos fazemos um chamamento a comunidade internacional e solicitamos  proteção contra esta repressão que estão sofrendo os cidadãos e cidadãs sarauis nos territórios ocupados do Sahara Ocidental nas mãos da impunidade das forças repressoras marroquinas.

Elmami Amar Salem,
Presidente da Organização Saraui contra a Tortura em Dakhla

Tradução Livre do Original Érika Ceconi

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s