Não à agressão imperialista: Dia de Ação Mundial de Solidariedade com o Povo da Venezuela

Não à agressão imperialista contra a Venezuela 

19 de abril de 2015 – Dia de Ação Mundial de Solidariedade com o Povo da Venezuela

O Conselho Mundial da Paz condena e denuncia a escalada recente da agressividade imperialista contra o povo e o governo da Venezuela, como foi expressada pela “Ordem Executiva” do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. A ordem declara a República Bolivariana da Venezuela uma “ameaça inédita e extraordinária à política exterior e à segurança nacional dos EUA”.

As forças amantes da paz em todo o mundo e o CMP consideram este ato uma intervenção aberta nos assuntos internos de um país soberano, o aumento da agressividade imperialista, em particular dos Estados Unidos, que mira na desestabilização do país e o apoio às forças reacionárias da oligarquia local, que luta para assegurar e recuperar seus privilégios.

Em um período de crescente agressividade do imperialismo em todos os cantos do mundo, com guerras, intervenções militares e exploração, os EUA mais uma vez intensificam suas ameaças contra o povo da Venezuela.

O Conselho Mundial da Paz saúda o povo da Venezuela que, em sua grande maioria, rechaça os planos subversivos por dentro e fora do país e expressa sua solidariedade com os direitos e demandas do povo venezuelano, para defender suas conquistas e aprofundar o processo bolivariano, convertendo-se no verdadeiro dono do seu futuro.

O Conselho Mundial da Paz insta a todos os seus membros e amigos em todos os países a participar em um Dia Mundial de Ação de Solidariedade com o Povo da Venezuela, em 19 de abril de 2015.

Declaramos nossa solidariedade, de todo o coração, com a organização afiliada Comitê de Solidariedade Internacional (Cosi) e as forças anti-imperialistas da Venezuela.

Fazemos um apelo para que se realizem protestos contra o decreto dos EUA e iniciativas de solidariedade com o povo venezuelano, reivindicando a suspensão imediata da “Ordem Executiva” e das sanções contra a Venezuela.

CMP, Atenas, 25 de março.

Leia o apelo do Comitê de Solidariedade Internacional, da Venezuela:

O Comitê de Solidariedade Internacional (Cosi) – entidade venezuelana afiliada ao Conselho Mundial da Paz desde 1972 – diante da “Ordem Executiva” assinada pelo presidente estadunidense Barack Obama em 9 de março, na qual injustamente declara a Venezuela uma “ameaça diferente e extraordinária à segurança e à política exterior dos Estados Unidos”, manifesta a sua preocupação pela agressiva e perigosa arremetida do imperialismo, no marco da sua multifacetada ofensiva contra o nosso país.

Esta declaração de Obama se marca na tática que desenvolve o imperialismo em sua tentativa de recompor sua hegemonia e controle sobre o mundo inteiro. No geral, essas ações estão orientadas contra a América Latina e as novas experiências de integração, como a Celac, a Unasul, a Alba e a Petrocaribe, que constituem políticas regionais fora da ingerência norte-americana, particularmente contra a Venezuela, por seu importante papel na construção dessas instâncias e pela ressonância internacional das suas posições críticas e de denúncia contra o imperialismo no cenário mundial, por seus excessos e abusos contra os direitos dos nossos povos. Além disso, é uma resposta soberba, agressiva, belicista, guerreadora e provocadora do imperialismo, em defesa dos seus lacaios na Venezuela.

O Cosi agradece o apoio e a solidariedade com o povo, o governo e o processo venezuelano, claramente expressos pelas forças internacionais da paz e do progresso através de mensagens e da visita de representantes de organizações de todo o mundo ao nosso país. Amostra disso foi a recente visita de mais de 50 delegados internacionais no marco da missão de solidariedade impulsionada pela Federação Mundial da Juventude Democrática (FMJD), do Conselho Mundial da Paz e da Organização Continental Latino-americana e Caribenha de Estudantes (Oclae).

O mesmo vale para as declarações emitidas pelo Conselho Mundial da Paz, a FMJD, a Federação Sindical Mundial, a Federação Democrática Internacional de Mulheres, a Unasul, a Celac, o Movimento de Países Não Alinhados, a Oclae e o Movimento Continental Bolivariano, além de dezenas de partidos e organizações de todos os continentes.

Até agora, o povo venezuelano, as organizações políticas revolucionárias, os movimentos sociais e o presidente Nicolás Maduro, junto aos povos do mundo, conseguiram contrapor-se à tática do imperialismo e sua ambição de derrotar o governo popular e democrático da Venezuela e concretamente a direita e ultradireita neofascista, mas a ofensiva do imperialismo apenas se inicia, por isso fazemos o apelo às forças internacionais da paz e do progresso a solidarizar-se com a Venezuela e a manifestarem-no de forma ativa.

Neste sentido, se planeja, com o conjunto de organizações que acompanham, com seu apoio e solidariedade, a Venezuela, a convocatória de um Dia de Ação Mundial de Solidariedade com a Venezuela, em 19 de abril, nos distintos países, com o objetivo de dar uma mensagem clara e contundente ao imperialismo, para demonstrar e ratificar uma vez mais que a Venezuela não está sozinha.

Amigos, compatriotas e camaradas, contamos com seu apoio e solidariedade ativa, estendemos uma fraternal saudação desde a Pátria de Bolívar e manifestamos que nosso povo seguirá lutando por garantir que a Venezuela e a nossa região se consolidem como uma Zona de Paz, fora das ambições belicosas do imperialismo norte-americano.

Comité de Solidaridad Internacional (COSI)
Caracas, Venezuela

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s