Socorro Gomes: Pela libertação dos prisioneiros saráuis e o fim da ocupação marroquina, já!

A presidenta do Conselho Mundial da Paz (CMP), Socorro Gomes, emitiu nesta quarta-feira (17) uma declaração em apoio aos prisioneiros políticos saráuis em julgamento no Marrocos e à luta mais abrangente do povo saráui contra a ocupação marroquina. O julgamento tem sido condenado por observadores internacionais e o CMP tem um compromisso histórico com a luta pela descolonização do Saara Ocidental, reafirmado em sua última Assembleia, em São Luís (MA), em novembro de 2016. Leia a declaração de Socorro Gomes a seguir:

{English}

Pela libertação dos prisioneiros saráuis e o fim da ocupação marroquina já!

É com revolta e preocupação que acompanhamos as notícias sobre o processo arbitrário e político instaurado ​​pelo Reino do Marrocos contra mais de vinte ativistas saráuis, arrastado há sete anos por autoridades de um regime de ocupação militar. 

De acordo com observadores internacionais, os julgamentos a que estão sendo submetidos 25 saráuis que ousaram participar num protesto pacífico em Gdeim Izik, em 2010, na resistência contra a ocupação marroquina do Saara Ocidental, são parciais e injustos, destinados a cumprir um papel numa farsa em que o regime marroquino seria supostamente democrático. 

Ciente de que o processo é mais um capítulo importante na firme luta do povo saráui por autodeterminação, o Conselho Mundial da Paz tem manifestado seu amplo e decidido apoio à descolonização do Saara Ocidental, demandando o cumprimento de uma promessa feita há mais de quatro décadas e reforçada nos acordos assinados pela Frente Polisario e o Marrocos ainda em 1991. 

Violando sistematicamente sua parte no cessar-fogo acordado, o Reino Marroquino conta com a cumplicidade de potências europeias como a França e o financiamento do seu aparato repressivo por outra monarquia autocrática, a Arábia Saudita. Basta de negligência! Exigimos da ONU que garanta a proteção aos direitos humanos e cumpra o compromisso com a autodeterminação do povo saráui feito há mais de duas décadas na promessa de um referendo, que deve ser realizado urgentemente!  

Exigimos ainda a libertação dos prisioneiros políticos saráuis, que denunciam torturas e outros maus tratos como mecanismos da repressão marroquina.

Manifestamos nossa solidariedade à brava luta saráui e nos comprometemos com o fortalecimento da nossa mobilização pela descolonização.

Pelo fim da ocupação marroquina do Saara Ocidental, viva a República Árabe Saráui Democrática e a resistência do povo saráui!

Socorro Gomes,
Presidenta do Conselho Mundial da Paz


Acesse também: