Comitê venezuelano de solidariedade internacional apela à defesa da República Bolivariana contra a agressão

O Comitê de Solidariedade Internacional (COSI), da Venezuela, entidade amiga do Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos de Luta pela Paz (Cebrapaz) que integra o Conselho Mundial da Paz, emitiu nesta quarta-feira (30) contundente apelo pela defesa da Venezuela, da democracia e da sua soberania. A entidade denuncia o intento de golpe de Estado encabeçado pelo deputado Juan Guaidó, mas enfatiza o papel essencial do imperialismo estadunidense e europeu, alertando para o risco de uma agressão militar. Leia a tradução da nota a seguir: cosi-diadeac3a7c3a3omundialvenezuela

Ameaça de Guerra contra a Venezuela

Em nome do Comitê de Solidariedade Internacional e luta pela paz (COSI – Venezuela), queremos alertar todas as forças democráticas, progressistas e de paz no mundo sobre os mais recentes acontecimentos políticos na Venezuela, que tiveram como ponto de inflexão a autoproclamação como presidente interino da Venezuela o deputado da Assembleia Nacional Juan Guaidó, que hoje se constitui como um fantoche executor da política dos EUA e da União Europeia.

Devemos, em primeiro lugar, assinalar que o atual quadro político no país é expressão das profundas contradições entre os interesses de recomposição dos tecidos de dominação do imperialismo em nossa região, contra os interesses da nação. Por isso, todas as ações que se sucederam nos últimos dias têm como principal objetivo promover um golpe de Estado no país que destrua as conquistas sociais alcançadas por nosso povo nos últimos 20 anos e que entregue nossa soberania e recursos ao imperialismo norte-americano e europeu.

No passado 23 de janeiro, em um ato de manifestação da oposição na Venezuela, o mencionado deputado da Assembleia Nacional autoproclamou-se presidente da República. Imediatamente, o governo imperialista dos EUA declarou a ilegitimidade do presidente Nicolás Maduro, que foi eleito em votação direta, secreta e universal em 20 de maio de 2018, e reconheceu Juan Guaidó como presidente. A seguir, um conjunto de governos servis aos interesses do imperialismo norte-americano fez o mesmo.

A autoproclamação é uma figura inexistente na Constituição da República Bolivariana da Venezuela e em qualquer aspecto da legislação interna do país. O deputado Juan Guaidó é o presidente da Assembleia Nacional, que, por decisão emanada do Supremo Tribunal de Justiça, se encontra em desacato e, por consequência, inabilitada de suas funções desde 28 de julho de 2016. Por isso, todos os seus atos são nulos.

Desta forma, assentando um precedente muito negativo, durante os últimos dias se intensificou a agressão contra a Venezuela e, de forma aberta, o imperialismo norte-americano declarou que todas as opções contra a Venezuela estão sobre a mesa. Tem sido recorrente a ameaça de guerra contra o nosso país, por isso, denunciamos e alertamos o mundo as distintas manobras que os EUA e a União Europeia estão usando para criar as condições favoráveis a uma intervenção militar.

Hoje estamos diante de um novo golpe de Estado na Venezuela, que, assim como ocorreu em 2002, é promovido, financiado e assessorado pelos EUA, que se puseram à frente do mesmo e somaram distintos países da União Europeia, acompanhantes do plano, para colocar as mãos na maior reserva de petróleo do mundo e dar um duro golpe contra o imaginário coletivo dos povos, que hoje continuam levantando as bandeiras do anti-imperialismo.

Todas as forças de paz no mundo historicamente chamam à defesa da soberania, da independência, a autodeterminação e a não-ingerência nos assuntos internos dos países como a única fórmula que garante o estabelecimento de um mundo de paz e cooperação, conforme a carta que deu origem à Organização das Nações Unidas (ONU).

Diante das possibilidades reais de uma agressão militar contra o nosso país, do COSI convocamos à máxima mobilização das forças patrióticas e anti-imperialistas, assim como agradecemos todas as manifestações de solidariedade e expressamos que a única garantia de triunfo da paz é a unidade popular e a solidariedade internacional.

Saudamos a estóica resistência do nosso povo contra a agressão imperialista, marcharemos junto às forças populares em defesa da paz, a soberania e a independência.

Fim à agressão imperialista contra a Venezuela!

Não à guerra na Venezuela!

Defendamos a paz!

Caracas, 30 de janeiro de 2019