Conselho Mundial da Paz repudia acusação dos EUA a autoridades e o agravamento da ofensiva à Venezuela

O Secretariado do Conselho Mundial da Paz (CMP) repudiou nesta quinta-feira (26) a acusação feita no mesmo dia pela Procuradoria-Geral dos Estados Unidos contra o presidente venezuelano Nicolás Maduro e 14 outras autoridades venezuelanas de “narco-terrorismo, corrupção, tráfico de drogas”, entre outras. A medida agrava sobremaneira a ofensiva imperialista contra a Venezuela, já em contexto de gravíssima crise diante do prolongado cerco e ameaças contra o país e no quadro da pandemia de coronavírus. Leia a declaração do CMP a seguir.

Declaração de repúdio à decisão dos Estados Unidos contra a Venezuela

O Conselho Mundial da Paz condena firmemente a decisão da Procuradoria-Geral dos Estados Unidos, em nome do governo estadunidense, de anunciar acusações criminais contra o presidente da República Bolivariana da Venezuela e outras autoridades de alto escalão sob o pretexto de alegado envolvimento com o tráfico internacional de drogas.

O Procurador Geral dos EUA ameaça designar a República Bolivariana da Venezuela um “estado patrocinador do terrorismo”. Esta decisão do governo estadunidense constitui não só maior intensificação das provocações, medidas coercivas e interferência contra um país soberano, mas evidencia também a abordagem cínica e arrogante dos Estados Unidos, que se aproveitam dos tempos críticos em todo o mundo da pandemia de COVID-19 para impor novas sanções ao país e seu povo.

O povo da Venezuela já está sofrendo com as sanções e restrições impostas pelos imperialistas EUA e seus aliados da União Europeia e do “Grupo de Lima”, que não permitem ao país comprar medicamentos e outros produtos vitais há mais de um ano. São as mesmas forças que reconhecem um fantoche autoproclamado como seu “líder escolhido”, afrontando qualquer legitimidade, a lógica e o direito internacional. As mesmas forças que impedem, em tempo de crise da COVID-19, que o país compre no mercado internacional e forneça equipamento técnico e bens de saúde ao Sistema Nacional de Saúde.

A nova decisão de hoje dos EUA, atuando como “xerife mundial” e oferecendo milhões de dólares estadunidenses para capturar o legítimo presidente Nicolás Maduro, autoridades e ministros do país, não tem precedente, é arbitrária e nula.

O CMP expressa sua profunda solidariedade com o povo da Venezuela, às forças anti-imperialistas e amantes da paz em sua luta por defender seu direito soberano a escolher sua liderança e seu destino de forma independente, sem qualquer ingerência estrangeira, e lutar em resposta à agressão, à ingerência e à provocação imperialista.

Instamos todos os membros e amigos do CMP a fortalecer suas ações de solidariedade com o povo da Venezuela e a planejar, para o 19 de abril, Dia Internacional de Solidariedade com a República Bolivariana da Venezuela, ações de protesto contra as ameaças imperialistas e ações em solidariedade com o povo venezuelano, em coordenação com a nossa organização membro na Venezuela, o Comitê de Solidariedade Internacional e Luta pela Paz – COSI.

Secretariado do CMP
26 de março de 2020

Tradução: Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (CEBRAPAZ)