Secretário-geral da ONU apela ao cessar-fogo mundial; quase dois milhões de pessoas já apoiaram

Está aberto e com o objetivo de angariar dois milhões de assinaturas o apelo do secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, por um cessar-fogo mundial que suspenda hostilidades entre povos e nações que neste momento precisam cooperar para enfrentar a pandemia do novo coronavírus. Enquanto se escreve esta notícia, já há mais de 1,8 milhão de assinaturas no apelo circulado através do Avaaz. Leia o texto abaixo. Acesse e endosse o chamado clicando aqui.

A fúria do vírus ilustra a insensatez da guerra

Nosso mundo enfrenta um inimigo comum: a COVID-19.

O vírus não se importa com etnia ou nacionalidade, facção ou fé. Ataca a todos, de forma implacável.

Enquanto isso, conflitos armados seguem ativos em todo o mundo.

Os mais vulnerávies —mulheres e crianças, pessoas com descapacidades, os marginalizados e os deslocados— pagam o preço mais alto.

Estão também sob o maior risco de sofrer perdas devastadoras com a COVID-19.

Não esqueçamos que em países destroçados pela guerra, os sistemas de saúde colapsaram.  Profissionais de saúde, já poucos, têm sido frequentemente o alvo. Refugiados e outros deslocados por conflitos violentos estão duplamente vulneráveis. A fúria do vírus demonstra a insensatez da guerra.

É por isso que hoje estou apelando por um cessar-fogo global e imediato em todos rincões do mundo. É tempo de bloquear o conflito armado e focar, juntos, na verdadeira batalha das nossas vidas.

Às partes em guerra, digo: Retirem-se das hostilidades. Coloquem de lado a desconfiança e a animosidade. Silenciem as armas; detenham a artilharia; parem os ataques aéreos. Isso é crucial para ajudar a criar corredores para a assistência que salva vidas. Para abrir importantes janelas à diplomacia. Trazer esperança a lugares entre os mais vulneráveis à COVID-19.

Tiremos inspiração das coalizões e diálogos que estão gradualmente surgindo entre rivais para promover abordagens conjuntas contra a COVID-19. Mas precisamos de muito mais.

Acabemos com a enfermidade da guerra e combatamos a doença que está assolando o nosso mundo.

Isso começa por parar os confrontos em toda a parte. Agora.

É disso que a nossa família humana precisa, agora mais do que nunca.

Fonte: Secretaria-Geral da ONU

Tradução: Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz