XI Fórum em Defesa dos Direitos Humanos e da Paz

Cebrapaz participa do XI Fórum em Defesa dos Direitos Humanos e da Paz, nos dias 10, 11 e 12 de Setembro de 2009 em Bogotá – Colombia.

A presidente do Conselho Mundial da Paz, Socorro Gomes, esteve presente no XI Foro Nacional pelosDireitos Humanos e em defesa da Paz, por ocasião do aniversário de 30 anos deatividade do Comitê Permanente em Defesa dos Direitos Humanos da Colômbia. OForo foi realizado de 10 a 12 de setembro e tevecomo temas principais a urgência da paz negociada no país, a defesa dosdireitos humanos, a denúncia das bases militares estadunidenses e areinstalação IV Frota da marinha de guerra dos Estados Unidos na América Latinae Caribe. O evento foi um foi palco de inúmeras denúncias de violações dosdireitos humanos e da política de guerra por parte do governo colombiano comofundamento de sua política de segurança.

Um grande número de parlamentares colombianos estão denunciados por envolvimento com grupos ligados a toda sorte de crimes e violações dos direitos humanos. Muitos estão presos e outros tanto respondendo processos por envolvimento em crimes.


Participaram delegados de todo o país, bem como autoridades da Alcadia (Prefeitura) de Bogotá, as senadoras Glória Inês Ramires, do Pólo Democrático Alternativo, e Piedad Córdoba, do Partido Liberal, o vereador por Bogotá e dirigente do Partido Comunista Colombiano Jaime Caicedo entre outros defensoras da saída negociada para o conflito que vive a Colômbia há décadas. Participaram também integrantes dos movimentos pela paz e pelos direitos humanos. O evento foi coordenado por Luis Carlos Bunilla, presidente do Comitê Permanente.e contou com a presença do  pesquisador equatoriano dr. Alexis Ponce e do jornalista e cientista político mexicano dr. Carlos Fazio,  dos EUA, que foram  expositores sobre as bases militares estadunidenses no continente latino-americano.

Tratou-se de um espaço de encontro plural e democrático de diversos setores representativos da sociedade colombiana e que contou coma presença solidária de delegações internacionais. O XI Foro somou-se aos esforços para unir distintas vertentes democráticas na luta poruma paz democrática e justa na Colômbia e contra a instalação das bases militares estadunidenses no país.


A presidente do CMP conclamou em sua fala os povos latino-americanos e caribenhos à resistência a esta perigosa ameaça à paz e à soberania das nações por parte dos Estados Unidos. "O lançamento da IV Frota e o acordo para o uso e ampliação das bases militares entre Estados Unidos e o governo da Colômbia fazem parte da política de cerco aos governos e povos da região numa clara tentativa de intimidar e conter os processos de lutas dos povos pela sua soberania. Objetivam também o controle dos imensos recurso naturais, como a biodiversidade, as fontes de água, o gás e petróleo etc.

Estamos diante de uma clara contra-ofensiva do império frente ao grande fortalecimento das forças progressistas, de esquerda e antiimperialistas, que na última década têm fincado raízes em todo o continente. O imperialismo estadunidense utiliza-se  de falsos argumentos para cercar militarmente  países como Cuba, Venezuela, Bolívia e Equador e instrumentaliza a Colômbia como cabeça de ponte para seus objetivos. É pois de grande significado a organização de amplos movimentos de denúncia e condenação desta investida contra a paz em nossa região".  

Deixe uma resposta