Mulheres e crianças são as maiores vítimas das guerras e conflitos

O Cebrapaz denuncia: As mulheres e as crianças são as maiores vítimas das guerras e conflitos

Nesse centenário do Dia Internacional da Mulher, o Centro Brasileiro de Solidaridade aos Povos e Luta pela Paz vem se somar as comemorações que acontecem em todos os cantos do mundo para festejar a luta e conquistas das mulheres chamando a atenção para o que acontece com as mulheres nas situações de guerra e de conflitos bélicos que obrigam deslocamentos das populações. Nesses casos, são as mulheres e as crianças, por seu desamparo e pelo próprio machismo existente aprofundado pela sociedade capitalista, as pessoas que mais sofrem.

Segundo dados da ONU, cerca de 70% das mortes nos conflitos bélicos são de mulheres.  Além de ser a maioria das vítimas fatais, a própria discriminação de gênero faz com que mulheres não sejam ouvidas em qualquer das decisões tomadas pelos Estados ou grupos armados que se enfrentam no campo e nas cidades ,mesmo quando se trata de definir os locais de entrega, tipo e quantidade dos alimentos a serem distribuídos à população atingida.

As estatísticas comprovam que as mulheres envolvidas em conflitos armados estão quase sempre sozinhas com seus filhos e expostas à violência sexual, à discriminação e à intimidações de todas as espécies. Quase sempre, essas mulheres em grande parte experimentam a pobreza, exclusão social e exploração, uma vez que ficam privadas de suas antigas fontes de renda e necessitam ganhar dinheiro e alimentar seus filhos e filhas. Mas, toda essa terrível situação é enfrentada com coragem e determinação por estas bravas  mulheres que buscam, sem cessar, reagrupar seus familiares e reconstruir suas comunidades.DAR VIDA, RECONSTRUÍ-LA, permanece sendo tarefa das mulheres.

É por isso mesmo é que CEBRAPAZ considera que as mulheres devem exigir serem ouvidas e tratadas com igualdade em todos os aspectos da vida social. Mas, em todos os cantos do mundo, queremos lutar com todas as nossas forças para que sejam criadas leis especiais com o objetivo de proteger as vítimas femininas nos conflitos armados, nas guerras e outros territórios onde ocorra a violência.

Por fim, nesse centenário do dia 8 de março, o CEBRAPAZ exige respeito à soberania de todos os povos do mundo. Chamamos atenção que mesmo na América Latina as mulheres e homens estão ameaçados pelas bases militares americanas que cercam região amazônica e o aquífero Guarani e pela reativação da IV Frota que ameaça nossos mares e o pré-sal de nosso país. As guerras imperialistas estão aí para mostrar que o que move esses países é o interesse em dominar as riquezas minerais e materiais do planeta. E, o Brasil é um dos países de mais rica diversidade biológica e recursos minerais significativos. Portanto, devemos ficar atentas, e lutar pela soberania e continuidade do processo de desenvolvimento sustentável que está em curso em nosso país. Só num mundo sem ameaças de guerra e de solidariedade entre os povos poderemos evitar que a dor, a morte e o sofrimento continuem a vitimar as mulheres do mundo, suas crianças, familiares e amores.

CARTA DO CEBRAPAZ NÚCLEO RIO EM HOMENAGEM AO DIA 08 DE MARÇO – DIA INTERNACIONAL DAS MULHERES

Deixe uma resposta