Turquia condena ataque à frota e pode cortar relações com Israel

A Turquia advertiu Israel de que todos os seus laços diplomáticos com o país serão cortados se o governo israelense não emitir um pedido de desculpas pelo ataque à frota de barcos que tentava furar o bloqueio à Faixa de Gaza, no dia 31 de maio, ou permitir uma investigação independente sobre o incidente. O ataque aos barcos com ativistas que pretendiam entregar ajuda humanitária à população de Gaza deixou nove cidadãos turcos mortos.

Em protesto, a Turquia suspendeu as relações com Israel após o incidente. Em declarações publicadas pela imprensa local nesta segunda-feira, o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Ahmet Davutoglu, disse que o rompimento total das relações somente pode ser evitado se Israel aceitar uma investigação internacional independente sobre o incidente.

O governo de Israel afirma que não tem por que se desculpar. O país alega que os ativistas foram mortos após soldados israelenses que interceptaram os barcos terem sido espancados pelos passageiros dos barcos. Mas a Turquia – que até recentemente era o mais importante aliado muçulmano de Israel – vem exigindo um pedido de desculpas, uma investigação independente e também uma compensação para as famílias das vítimas.

"Os israelenses têm três opções. Eles vão ou se desculpar ou permitir uma investigação internacional imparcial e sua conclusão. Senão, nossos laços diplomáticos serão cortados", disse Davutoglu. O endurecimento da Turquia ocorre apenas cinco dias após um encontro secreto entre Davutoglu e o ministro do Comércio de Israel, Binyamin Ben Eliezer, na Suíça.


Da Redação, com informações da BBC Brasil

Deixe uma resposta