Jornada Continental de Solidariedade com o povo hondurenho começa em Honduras

 

Começa neste domingo (26) em La Esperanza, Honduras, a Jornada Continental de Solidariedade com o povo hondurenho, organizada pelo Comitê de Familiares de Presos Desaparecidos e outras organizações dos movimentos sociais, populares e indígenas de Honduras e demais países da América Central.

Leia também:
Frente hondurenha realiza assembleia: “Da resistência ao poder”

O encontro, que se realiza até a próxima terça-feira (28), tem como eixos a exigência de fechamento das bases militares estrangeiras; o fim da militarização e repressão em Honduras, assim como da criminalização das lutas sociais e violações sistemáticas dos direitos humanos. As organizações sociais hondurenhas exigirão a punição aos golpistas, responsáveis por assassinatos contra ativistas políticos e sociais do país centro-americano.

A presidente do Conselho Mundial da Paz e do Cebrapaz, Socorro Gomes, encontra-se em Honduras e será uma das conferencistas na Jornada. Por telefone, ela declarou ao Vermelho que se sente honrada em representar o movimiento pela paz “neste território histórico das lutas indígenas e camponesas, no coração da resistência”. Ela ressalta a importância do Encontro Internacional Contra a Militarização, no marco da Jornada de Solidariedade com Honduras, convocado pela Campanha América Latina uma Região de Paz – Fora Bases Militares Estrangeiras.

Para a ativista brasileira, “Honduras nos últimos meses foi transformada em um laboratório de repressão e criminalização dos movimentos sociais e políticos. Após o golpe militar que retirou à força o presidente Manuel Zelaya de seu país, temos acompanhado a criminalização do protesto social, a perseguição política e a ampliação de bases militares estrangeiras. Viemos a Honduras para trazer a solidariedade militante ao povo hondurenho e nos somar à sua luta para ser um território livre da repressão e das bases militares estrangeiras”.

Socorro Gomes também participará da Assembleia Nacional Extraordinária da Frente Nacional de Resistência Popular de Honduras, que terá a presença de Manuel Zelaya.

Da Redação do Vermelho

Deixe uma resposta