Cebrapaz promove debate sobre golpe no Paraguai em São Paulo

Uma oportunidade para mergulhar na realidade do Paraguai, um país que, como o Brasil, viveu sob uma ditadura há bem pouco tempo. Mas, diferente de nós, ainda vive uma fase de transição democrática.

Leia Também:
Nota de repúdio ao golpe de Estado no Paraguai

Promovido pelo Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz), foi realizado um debate na quinta-feira (5), sobre a realidade política e social daquele país, no Espaço Cultural Latino Americano, o Ecla, localizado no Bixiga, em São Paulo.

O debate foi precedido da exibição do documentário “Deus Abençoe o Paraguai”, do documentarista Gregory Schepard, que também documentou a eleição de Evo Morales na Bolívia. Toda a narrativa é contada a partir do trabalho realizado na campanha eleitoral de Fernando Lugo para a presidência do país. Aos poucos, tomamos conhecimento da trajetória do ex-padre que abriu mão da vida religiosa para se tornar o primeiro presidente progressista daquele país, em 2008.  

Lucas Keese, que faz parte da equipe técnica, como operador de câmera, deu seu relato instantes antes do filme começar. Usando um boné que ganhou de um assentamento rural, ressaltou a importância de se falar sobre a queda do Lugo, promovida pelos partidos dominantes do país, o Colorado e o Liberal.  

“Eu vim até com esse boné do lugo que ganhei em um assentamento chamado Tao Guarani , no filme não aparece isso, mas foi nesse assentamento que mais me aproximei politicamente do contexto do Paraguai, e a gente foi para esses assentamentos porque sabia que era lá a que a questão agrária é muito forte. A gente consegue ver muito isso, vendo todo o conflito com os brasiguaios, os brasiguais apoiando o golpe.”  

A repórter Vanessa Silva, enviada especial do Portal Vermelho ao Paraguai, ressaltou as contradições do país e falou de sua expectativa sobre a cobertura do golpe. Vanessa lembrou que o país viveu 35 anos de ditadura e acrescentou que percebeu que a população da cidade estava bastante cabisbaixa e que todos temem por represálias e confrontos com a polícia.  

Sobre o golpe, lembrou que Lugo já tinha sofrido outras tentantivas de golpe e que, enquanto a direita concentrar o poder legislativo, judiciário, econômico, a democracia estará ameaçada.  

o jornalista do Brasil de Fato, Igor Fuser, que é pesquisador de relações internacionais, levantou alguns pontos de reflexão, como quando foi que um golpe de estado bem sucedido havia acontecido na América Latina até então. Foi em 1976, na Argentina que instaurou uma das mais sangrentas ditaduras na região, Ele também ressaltou o processo político que a América Latina vem passando, com a eleição de governos progressistas, que vem diminuindo a influência dos Estados Unidos no continente e até no mundo.  

De acordo com sua análise, para os EUA manterem sua dominação econômica sobre o mundo, eles precisam recuperar o controle sobre a América, especialmente a América do Sul.  Em seguida Iuri Codas, do movimento Kizomba, estudante de Relações Internacionais e diretor da União Estadual dos Estudantes de São Paulo (UEE-SP), fez uma contextualização do cenário político.Como filho de paraguaio, lembrou da relação que os eleitores têm com os partidos. Ele compara a relação dos paraguaios com os partidos com a relação dos brasileiros e alguns times de futebol. O Colorado está no poder desde 1947, e, em 1954, o General Alfredo Stroessner, que era colorado, iniciou uma ditadura.  

Leo Ramirez, diretor de Imigração do Cebrapaz e do movimento de imigrantes paraguaios Japayke, no Brasil, falou da surpresa que a notícia do golpe causou aos paraguaios que moram no Brasil. Já que o partido Liberal apoiava Lugo.  

Leo lembrou o contexto que antecedeu o golpe, que foi o Maio Paraguaio, com intensas manifestações nas ruas sobre diversos temas. Durante as conclusões, a repórter Vanessa Silva esmiuçou a estratégia da Frente em Defesa da Democracia, de Fernando Lugo, de manter seu nome em evidência como candidato ao Senado, para manter a identificação dos eleitores com a plataforma política progressista.

Deborah Moreira  
Da redação do Vermelho  

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s