Socorro Gomes envia carta à presidenta Dilma Rousseff sobre massacre em Gaza

A presidenta do Conselho Mundial da Paz e do Cebrapaz, Socorro Gomes, enviou uma carta à presidenta Dilma Rousseff na terça-feira (22), instando o governo brasileiro a se posicionar firmemente contra o massacre dos palestinos, perpetrado por Israel. Já nesta quinta (24), em reunião com diversos movimentos sociais e com o embaixador da Palestina, Ibrahim Al-Zeben, Socorro saudou a nota do Itamaraty a respeito da situação na Faixa de Gaza. Leia a íntegra da carta enviada a Dilma.

Exma. Presidente Dilma Rousseff;

Dirijo-me mui respeitosamente a Vossa Excelência como cidadã brasileira que exerce ativismo pela paz mundial e acompanha com consternação a recente ofensiva lançada pelo Governo de Israel contra a Faixa de Gaza. O número de mortes entre os palestinos é elevado e cresce em ritmo acelerado, vitimando principalmente civis e inúmeras crianças inocentes, com a devastação visível da infraestrutura básica para a sobrevivência e de tantos lares.

Embora o discurso do Governo israelense busque formas de justificar a agressão contra os palestinos, são flagrantes as violações do Direito Internacional Humanitário, apontadas por diversas organizações de defesa dos direitos humanos e, de forma ainda insuficiente, pela Organização das Nações Unidas.

Saudamos a Declaração de Fortaleza emitida pelos líderes do BRICS, sob a liderança de Vossa Excelência, que contém um posicionamento claro sobre o ocorrido na Palestina. A assimetria de poder e a “punição coletiva” dos palestinos – termo empregado pela ONU – precisa ser esclarecida. Considero necessário que a comunidade internacional condene em peso o massacre sistemático dos palestinos. Não se trata de uma guerra enquanto os palestinos, já submetidos a um bloqueio persistente que empobrece e agrava a sua situação humanitária, são alvos diretos dos bombardeios realizados por ar, terra e mar, e a sua resistência é deslegitimada por Israel enquanto “terrorista”.

Apelamos ao Governo do Brasil para que tome medidas diretas neste momento de extrema urgência, assim como temos apelado, enquanto parte de um movimento mundial, massivo e extenso, a todos os governos, no esforço para contribuir com a pressão global sobre as autoridades israelenses que comandam a ofensiva e são responsáveis pelas mortes de tantos civis, de tantas crianças, mães e pais.

Sugerimos ações para demonstrar a nossa oposição à agressão, enquanto nação que defende a soberania dos povos, o respeito ao direito internacional e à diplomacia, para condenar de forma prática a agressão já preenchida de flagrantes crimes de guerra. Entre as medidas, destacamos a suspensão de negociações no âmbito do Mercosul para o estabelecimento do livre comércio, assim como o rompimento dos acordos de cooperação militar com Israel. Não podemos permitir que o governo israelense saia novamente impune de mais uma ofensiva tão virulenta contra os palestinos; precisamos fazer o que estiver ao nosso alcance para deter imediatamente esse massacre. As manifestações pelo mundo e inclusive dentro de Israel elevam a voz de uma grande parcela da população do planeta que rechaça a contínua impunidade frente à opressão dos palestinos, levada a cabo há tantas décadas, enquanto o mundo negligencia sua responsabilidade com esse povo martirizado.

Contando com o firme posicionamento do Governo brasileiro neste momento trágico, renovo meus protestos da mais elevada estima e consideração.

Cordialmente,
Maria do Socorro Gomes Coelho
Presidenta do Conselho Mundial da Paz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s