Saara Ocidental, 40 anos: Pelo fim da ocupação marroquina, pela libertação do povo saaraui!

No ano em que o Saara Ocidental completa o seu 40º aniversário em luta contra a brutal ocupação marroquina, o Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz) expressa sua solidariedade determinada ao povo saaraui, empenhado em sua libertação. Da mesma forma, expressamos nossa preocupação com a escalada da violência e o nosso repúdio à ocupação e à completa falta de avanços na questão saaraui, o que recoloca a possibilidade de luta armada e a legítima resistência saaraui.

Saarauis manifestam-se durante o Fórum Social Mundial na Tunísia, em 2015.
Foto: Cebrapaz/Moara Crivelente

A Frente Polisario, representante do povo saaraui, deixou as armas para investir nos diálogos com o Reino do Marrocos ainda no início dos anos 1990, quando o cessar-fogo e um referendo ficou acordado para decidir o futuro do Saara Ocidental. Até hoje, o Marrocos não cumpriu sua parte e não realizou o referendo, conforme a resolução 690 (1991) do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas, que estabeleceu também uma missão de observação da ONU para este fim, a Minurso.

Até hoje, a presença da Minurso, que não tem o mandato restrito à realização do referendo, mas também foi criada para observação do cessar-fogo e da redução de tropas marroquinas no Saara Ocidental, não garante a segurança dos saarauis, sujeitos à repressão e à perseguição por parte do governo marroquino, enfrentando um muro de quase dois mil quilômetros, cercados por milhares de minas terrestres e soldados, ou vivendo em campos de refugiados na vizinha Argélia.

Além disso, 13 prisioneiros políticos saarauis protestam contra o seu cárcere em greve de fome. Eles são parte de um grupo preso ainda em 2010, condenados a duras sentenças pelo governo marroquino (de 20 anos de prisão a penas perpétuas), que desmantelou à força, quando deixou um rastro de morte, o acampamento de protesto Gdeim Izik.

Desde que a potência colonial, Espanha, se retirou do Saara Ocidental, ainda na década de 1970, os saarauis sofrem na pele outra ocupação, lutando por seu país, o último país africano a ser descolonizado.

Expressamos nossa solidariedade com os saarauis refugiados na Argélia, impedidos de retornar, enfrentando condições desafiadoras.

Respaldamos o povo saaraui na demanda pelo alargamento do mandato da Minurso para a observação da proteção dos direitos humanos, sistematicamente violados pela ocupação marroquina, enquanto demandamos a realização, finalmente, do referendo, com 15 anos de atraso.

Pelo fim da ocupação marroquina e pela dignidade do povo saaraui,
Pela libertação do Saara Ocidental!

Socorro Gomes,
Presidenta do Cebrapaz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s