Presidenta do Conselho Mundial da Paz denuncia novas ameaças contra a Síria e apela à mobilização

A presidenta do Conselho Mundial da Paz, Socorro Gomes, emitiu uma nota nesta quinta-feira (6) para condenar as mais recentes acusações contra o Governo da Síria por parte dos EUA e seus aliados, que buscam justificar uma invasão do país árabe à base de alegações infundadas e propaganda. A presidenta também reafirma a solidariedade do movimento da paz ao povo sírio, que resiste há seis anos à política imperialista, às agressões e à proliferação dos grupos armados e grupos terroristas fomentados por esta política, e insta ao reforço da mobilização contra a guerra. Leia o texto a seguir.

{English}

Fim à agressão contra a Síria e à ameaça imperialista!

É com indignação e contundente rechaço que voltamos a denunciar as tentativas dos Estados Unidos e seus aliados de promover uma ofensiva direta contra a República Árabe da Síria, valendo-se dos mesmos pretextos comprovadamente falsos para justificar uma invasão. 
 
Os EUA e seus aliados promovem a ladainha, sem apresentar qualquer evidência, de que o governo sírio prepara-se para lançar ataques químicos contra a população. É passada a hora de enterrar a prática das potências imperialistas e seus lacaios de inventar mentiras aberrantes e vendê-las como sentenças para justificar “intervenções humanitárias”.
 
O Conselho Mundial da Paz reitera seu completo repúdio a esta política de ingerência e agressão, que atenta contra a soberania das nações e provoca o sofrimento de povos inteiros, mantendo países mergulhados no caos, o que só serve aos interesses do império. Foi assim na Iugoslávia, na Líbia, no Iraque e no Afeganistão, e a tentativa é a de repetir esta operação na Síria.
 
Os Estados Unidos e a sua ilegítima coalizão persistem em sua retórica hipócrita e falsa, perpetram ataques diretos, preparam uma invasão e insistem em dividir e devastar o país árabe.
 
O povo sírio resiste com valentia e não está só. Os movimentos da paz e de solidariedade têm denunciado o apoio direto oferecido pelo imperialismo estadunidense e seus aliados aos grupos armados e a terroristas que atuam na região. São, todos estes, os grandes responsáveis pela destruição, as mortes de centenas de milhares de pessoas e pela situação que leva milhões a buscarem refúgio no exterior. 
 
As autoridades sírias têm demonstrado compromisso com a eliminação das armas químicas no país desde a assinatura do tratado relativo ao tema e a operação liderada pela Organização para a Proibição de Armas Químicas, cuja missão de averiguação voltou a visitar a Síria recentemente, mas se viu impedida pelos grupos armados patrocinados pelo império de acessar algumas regiões. 
 
Desde o início das tensões na Síria, há seis anos, o Conselho Mundial da Paz posiciona-se em solidariedade resoluta com o povo sírio na defesa da sua soberania e do seu direito inalienável a decidir o seu futuro, livre da intervenção estrangeira. Igualmente, o Conselho Mundial da Paz reitera seu apoio à busca de uma solução política para o conflito no país.  
 
Em nossas visitas à Síria e nos eventos que organizamos por todo o mundo, reafirmamos nosso contundente rechaço à política imperialista que tenta devastar a Síria como parte de seus planos de dominação e reconfiguração regional. Instamos a todos os movimentos pela paz e por justiça em todo o planeta a reforçar suas ações e oposição à ameaça de invasão da Síria!
 
Exigimos o fim da ingerência imperialista na Síria, do patrocínio a grupos armados e terroristas e as agressões diretas! 
 
Viva o povo sírio e sua resistência!

Socorro Gomes,
Presidenta do Conselho Mundial da Paz