Conselho Mundial da Paz apela ao reforço do apoio ao povo palestino contra a ocupação israelense

{English}

O Secretariado do Conselho Mundial da Paz (CMP), órgão de que o Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (CEBRAPAZ) faz parte, emitiu nesta terça-feira (25) uma nota de solidariedade ao povo palestino na mais recente intensificação da violência na Palestina ocupada. As forças israelenses conduzem uma operação provocativa, invadindo vilas, revistando casas, detendo pessoas arbitrariamente e até já matando manifestantes. O CMP enfatiza que a principal causa da violência na Palestina é a ocupação militar israelense e insta os movimentos solidários a reforçar o apoio à luta do povo palestino por libertação. Leia o texto a seguir.

A causa das tensões na Palestina é a ocupação!

O Conselho Mundial da Paz (CMP) denuncia veementemente a brutal escalada da violência do exército israelense contra o povo palestino em Jerusalém Oriental e Cisjordânia, que causou a morte de vários palestinos nos últimos dias. Embora não concordemos com ações cegas de vingança de qualquer lado, não podemos fechar os olhos diante da causa central das recentes tensões nos territórios palestinos, que é a ocupação contínua das terras palestinas por Israel e seu exército.

O regime israelense provocou os sentimentos dos palestinos ao anunciar novas e severas restrições a palestinos nos lugares sagrados de Jerusalém, que provocaram protestos maciços nos últimos dias. O regime de ocupação tenta diluir a base do conflito em um religioso, a fim de encobrir os fatos reais no terreno há décadas.

O sofrimento de milhões de palestinos na Faixa de Gaza, Cisjordânia e Jerusalém Oriental deriva da ocupação das terras palestinas, das colônias israelenses, do confisco de terras, do muro de separação e da humilhação diária de crianças e famílias nas cidades e vilas palestinas pelo exército de ocupação.

O CMP denuncia o governo dos EUA por seu pleno apoio ao regime israelense e também a hipocrisia da União Europeia, que finge se importar com o povo palestino, ao mesmo tempo em que endossa as ações de Israel.

Expressamos nossa solidariedade plena com o povo palestino em sua luta para acabar com a ocupação e pelo estabelecimento de um Estado independente e viável nas fronteiras anteriores a 4 de junho de 1967, com Jerusalém Oriental como sua capital. Exigimos a libertação de milhares de prisioneiros políticos palestinos das prisões israelenses e o direito ao regresso dos refugiados de acordo com a Resolução 194 das Nações Unidas.

O CMP saúda também as forças amantes da paz dentro de Israel que estão lutando lado a lado com o povo palestino pelo fim da ocupação e pelos mesmos objetivos.

Transmitimos nosso mais forte apoio e solidariedade ao Comitê Palestino pela Paz e a Solidariedade (PCPS) como membro do nosso Secretariado e instamos todos os membros e amigos do CMP a organizar protestos contra a agressão do regime israelense e ações solidárias com a justa causa do povo palestino.

Atenas, 25 de julho de 2017
O Secretariado do CMP

Leia também:

Socorro Gomes: Em repúdio às provocações da ocupação israelense, Palestina livre!

Barreto: Contra avanço da ocupação israelense, pela Palestina livre já!