Entidades populares debatem reforço do apoio à Venezuela em Campinas

A seção de Campinas da Frente Brasil Popular organizou um ato-debate sobre a Venezuela, na segunda-feira (21/08), na sede do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil. De acordo com a organização, cerca de 70 pessoas participaram, de entidades sociais, partidos, sindicatos, professores, entre outros, na mobilização do apoio à Revolução Bolivariana e ao povo venezuelano em defesa de um processo soberano e popular. Entre os debatedores esteve a presidenta do Conselho Mundial da Paz, Socorro Gomes.

b9612326-0df2-482d-8409-cdaaf1560b0bPoucos dias depois da instalação da Assembleia Nacional Constituinte na Venezuela, a luta na defesa da democracia e do aprofundamento da Revolução Bolivariana segue árdua.

O tema foi abordado pelo quadro de oradores de vasta experiência no tema: Socorro Gomes, que já visitou o país vizinho em missões de solidariedade diversas vezes, e Breno Altman, editor do Opera Mundi. 

Também participaram os presidentes municipais do PT (Durval Carvalho), do PCdoB (Mácia Quintanilha) e do PCO (Edson Dorta); dirigentes da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e da Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e sindicatos filiados; da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimento de Ensino (CONTEE); da União Brasileira de Mulheres (UBM) e da Marcha Mundial de Mulheres; da União da Juventude Socialista (UJS) e da Juventude do PT; entre outras entidades populares.

O objetivo do evento foi o aprofundamento do debate sobre a situação atual da Venezuela, onde as forças progressistas travam dura resistência contra as reiteradas e cada vez mais violentas tentativas de golpe por parte da oposição de direita, respaldada pelo imperialismo estadunidense.

No mesmo dia do evento, o presidente venezuelano Nicolás Maduro convocou uma Cúpula Mundial de Solidariedade com o Povo da Venezuela, dada a urgência de fortalecimento da luta anti-imperialista, em defesa da soberania nacional.

205cb898-ead8-4315-9aa7-3252acd5bbf3Recentemente, o tom da ingerência estadunidense na política venezuelana foi elevado para a ameaça direta pelo irresponsável presidente Donald Trump, quando declarou não descartar a “opção militar” contra o país. Não bastasse o apoio direto e evidente garantido à oposição reacionária para desestabilizar a Venezuela e deter o rumo da Revolução Bolivariana, diante de seu fracasso garantido pelo apoio popular ao processo, os EUA abrem o jogo sobre suas intenções.

Estas foram algumas das avaliações no evento, que se realiza também no momento em que se proliferam comitês de solidariedade à Venezuela por diversos estados do Brasil, após o lançamento do comitê nacional, em 31 de julho. (Leia aqui o manifesto, entregue ao Consulado venezuelano em São Paulo.)

Cebrapaz
Com informações e imagens de Lejeune Mirhan, para o Resistência