Repúdio à decisão peruana de barrar a entrada da embaixadora saráui Jadiyettu El Mohtar

{Español} Com alarme e indignação, o Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (CEBRAPAZ) denuncia a situação a que foi submetida, por decisão das autoridades peruanas, no aeroporto de Lima, a embaixadora da República Árabe Saráui Democrática (RASD), Sra. Jadiyettu El Mohtar*, detida no sábado (09/09), para ser eventualmente deportada.

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas em pé
A embaixadora em exposição em Madri. Foto: Arquivo Pessoal / Reprod. Facebook

O CEBRAPAZ soma-se a outras organizações civis da América Latina em defesa dos direitos humanos e associações de solidariedade com o povo saráui para demandar explicações e mudança no tratamento inaceitável oferecido à Sra. Jadiyettu El Mohtar, que é, aliás, uma diplomata de um país reconhecido pelo Peru.

Este reconhecimento pressupõe ao Peru deveres diplomáticos além das obrigações de respeito aos direitos humanos que, como denunciado pelo advogado da embaixadora saráui, podem estar ameaçados ao, por exemplo, negar-se o contato do advogado com sua cliente.

As organizações de defesa dos direitos humanos a que nos somamos, inclusive peruanas, também exortam o Peru a retomar suas relações diplomáticas com a RASD com base no direito à autodeterminação dos povos e a igualdade jurídica entre os Estados, como plasmado na Carta das Nações Unidas.

O tratamento oferecido à embaixadora da RASD é inaceitável e instamos as autoridades do país vizinho, o Peru, a fazer justiça e liberar a diplomata, para que atenda a seus compromissos no país, em defesa da justa causa de seu povo por autodeterminação, fazendo efetivo o reconhecimento da RASD, objetivo pelo qual também lutamos no Brasil.

Antônio Barreto
Presidente do Cebrapaz

*O nome da embaixadora é assim grafado em espanhol. Lê-se Radiyettu el Mohtar