Unidos contra as bases militares estrangeiras, postos avançados do imperialismo

Com esperança, o Conselho Mundial da Paz apoiou a Declaração de Unidade que consolidou a Coalizão estadunidense contra as bases militares dos EUA no exterior e apoia a realização da conferência sobre o mesmo tema em Baltimore, EUA, entre 12 e 14 de janeiro.

Por Socorro Gomes*

Os EUA têm dezenas de bases militares instaladas na América Latina e Caribe

 

Saudamos o papel do Conselho da Paz dos EUA na promoção de um esforço tão urgente e necessário, tendo trabalhado incansavelmente pela unidade entre diversos movimentos e organizações da sociedade civil estadunidenses engajados na luta pela paz, a preservação do meio ambiente e o fim da política imperialista de agressão promovida pelos sucessivos governos do país.

Também enviei uma mensagem pessoal que será transmitida à conferência enfatizando a confiança que temos no esforço dos povos e dos movimentos de paz em todo o mundo pela unidade em torno de nossa luta comum contra os postos avançados dos imperialistas, as quase 1.000 bases militares dos EUA espalhadas por todos os continentes.

Consideramos a presença e o destacamento militar dos EUA em mais de 100 países uma evidência da política ofensiva em que se baseia o imperialismo, a intimidação, a ameaça, a interferência e a agressão, desprezando completamente a soberania das nações, a igualdade entre os povos e o desejo de todos e todas de construir um sistema internacional de relações fundado na solidariedade e na amizade.

Movimento japonês contra as bases militares estadunidenses no Japão.

Por conseguinte, nos juntamos ao chamado por uma ampla participação ou apoio ativo à iniciativa de diversas organizações, associações e personalidades nos EUA, bem como a necessária e cada vez mais urgente consolidação de uma coalizão global que vem sendo construída pelos esforços de vários movimentos dedicados a esta luta em todo o mundo.

Popostas e ações já estão em curso para este objetivo, como o seminário contra as bases militares estrangeiras que se aproxima de sua sexta edição, em 2019, em Guantánamo, promovida pelo Conselho Mundial da Paz, o Movimento Cubano pela Paz e a Soberania dos Povos (MovPaz), o Instituto Cubano de Amizade com os Povos (ICAP) e outras organizações cubanas.

Devemos fortalecer nossos esforços para a consolidação desta frente, concentrando-nos no que nos une, um objetivo compartilhado por todos, que é a eliminação de cada um dos postos avançados do império que prejudicam a construção de um mundo justo e de paz para todos.

Convidamos todas as forças amantes da paz a continuarem empenhadas em avançar nesse esforço. Estamos confiantes de que, juntos, podemos impedir a corrida pelo controle e dominação dos povos, as políticas imperialistas dos EUA e de seus aliados. Nesta unidade, resistimos!

*Socorro Gomes é a presidenta do Conselho Mundial da Paz