Contra ameaças imperialistas e golpistas, apoio resoluto ao povo venezuelano na defesa da paz soberana

Para leer en español, pulse aquí

O Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (CEBRAPAZ) volta a condenar as ameaças do governo dos EUA e de seus aliados na região contra a Venezuela e repudia a participação do Brasil nesta farsa. As ações desestabilizadoras dos golpistas e do imperialismo estadunidense intensificam a crise para derrubar governo do presidente Nicolás Maduro, enquanto o governo de Donald Trump toma medidas coercivas impondo sanções que afetam o povo venezuelano e ameaçando com uma criminosa agressão militar.

A ignomínia desta ofensiva deve ser repudiada nos mais firmes termos por governos e organizações intergovernamentais regionais e mundiais, em declarações e ações! Já é rechaçada por entidades populares internacionais, inclusive no Brasil, onde nos solidarizamos com o povo venezuelano na defesa da sua soberania e reforçamos nosso apoio formando comitês e realizando ações em crescente frequência. A valente resistência e o altivo rechaço do povo venezuelano à ingerência ficam demonstrados em massivas manifestações e na firme mobilização das forças democráticas na Venezuela.

Rechaçamos qualquer envolvimento do Brasil em manobras contra a Venezuela, travestidas de promoção da democracia ou de ajuda humanitária, seguindo o roteiro estadunidense. Uma ofensiva militar, aventada por Trump, teria consequências destrutivas tanto para o povo venezuelano quanto para toda a região; traria sofrimento à população e prejudicaria talvez de forma duradoura as relações entre nações vizinhas.

Como já reiteradamente denunciado, a cínica oferta da chamada “ajuda humanitária” pelos EUA e por governos servis é tática conhecida do imperialismo para impor condições a governos ou infiltrar no país armamentos e outros equipamentos usados pelos bandos golpistas. Não faltam evidências das medidas soberanas tomadas pelo governo Maduro, cuja legitimidade é conferida pelo voto popular, para corresponder às emergentes necessidades do seu povo, com a compra de produtos de países amigos ou a abertura à recepção de ajuda de organizações multilaterais.

Que governos como o da Colômbia e o do Brasil, este liderado por um proto-fascista, arroguem-se defensores da democracia e do bem-estar dos cidadãos venezuelanos, é não só uma falsidade de enorme desfaçatez, já que bem conhecemos a falta de inclinações democráticas ou humanitárias do atual presidente, como também uma flagrante ingerência nos assuntos internos da nação irmã. É, como temos denunciado, o rompimento da tradição diplomática construída no Brasil de não-ingerência, de apreço pela paz e a estabilidade regional e, de 2003 a 2016, de promoção da integração regional soberana e solidária, assentada na amizade entre os povos latino-americanos e caribenhos.

O Cebrapaz, como outras entidades e comitês no Brasil, também volta a denunciar o reconhecimento do usurpador Juan Guaidó como “presidente interino” da Venezuela e o acolhimento da representante diplomática desta gangue golpista no Brasil, que já se reuniu com o chanceler brasileiro. Tais movimentações são inteiramente ilegítimas e contribuem para a desestabilização regional.

A América Latina e Caribe é Zona de Paz e tal compromisso não comporta o retorno a um passado de subserviência ao imperialismo estadunidense, que durante décadas promoveu golpes e respaldou governos anti-democráticos e, agora, busca promover uma confrontação direta, em sua estratégia para manter o controle sobre a região. Por isso, reforçamos o apoio ao povo venezuelano em sua luta pela paz soberana em seu país.

Tirem as mãos da Venezuela, já!
Pela paz e a soberania na Venezuela e na região!
Pela amizade e solidariedade entre os povos da América Latina e Caribe!

Antônio Barreto
Presidente do Cebrapaz