Conselho Mundial da Paz emite nota contra o golpe de estado na Bolívia

Firmada pelo Secretariado da entidade, o Conselho Mundial da Paz, de que o Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz) é membro, emitiu nota nesta segunda-feira (11) condenando o golpe de estado na Bolívia, concretizado no domingo (10). Leia a declaração abaixo:

Imagem relacionada

Conselho Mundial da Paz denuncia o golpe de estado na Bolívia

O Conselho Mundial da Paz denuncia firmemente o golpe de estado na Bolívia, promovido e apoiado pelos imperialistas estadunidenses, ao lado da oligarquia local e seu conhecido instrumento, a Organização de Estados Americanos (OEA).

As ações subversivas e desestabilizadoras levadas a cabo após as eleições de 20 de outubro no país e as ações para dividir e cooptar o Exército e a Polícia precipitaram aquela há muito ansiada derrubada do legitimamente reeleito presidente Evo Morales.

Os protestos e agressões das forças reacionárias orquestrados na cidade de La Paz, as ameaças e ataques a políticos, a mídia e aos movimentos sociais, constituem ações de tipo fascista. As ameaças às embaixadas, como a da Venezuela, Cuba e México, são mais evidências das intenções do golpe.

Sublinhamos ainda a hipocrisia e a posição arbitrária da União Europeia, que de fato apoiou indiretamente o golpe ao não reconhecer os resultados das eleições.

O CMP condena o golpe e exige respeito à vontade expressa pelo povo boliviano, instando a todas as pessoas e forças amantes da paz no mundo a estarem alerta para as perigosas consequências e ameaças derivadas desse golpe para toda a região. O golpe na Bolívia nos lembra os dias mais escuros na história da América Latina.

Expressamos nossa solidariedade com o povo boliviano na defesa do seu direito a decidir independente e livremente o seu destino e escolher sua liderança, tornando-se mestre do seu país e riquezas.

Instamos todos os membros e amigos do CMP a reagir e condenar, protestando contra o golpe em todos os países.

Abaixo o golpe!

Abaixo o imperialismo!

Secretariado do Conselho Mundial da Paz
11 de novembro de 2019