Cebrapaz exige fim das ameaças e sanções contra a Venezuela

O Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz) reafirma, neste dia de ação mundial de solidariedade à Venezuela, seu compromisso indeclinável com a solidariedade ao povo venezuelano na defesa da soberania da República Bolivariana da Venezuela, ameaçada e agredida  pelo imperialismo.

Em meio à crise humanitária deflagrada pela pandemia de Covid-19, que exige a cooperação solidária entre povos e nações, os EUA, ao contrário, redobram as sanções e ameaças de guerra contra a Venezuela, mais uma vez confrontando, ao mesmo tempo, o direito internacional e o mais básico sentimento humanitário, ignorando inclusive o apelo do Secretário-Geral das Nações Unidas no sentido de suspender sanções e ameaças entre países enquanto durar a pandemia.

O chamado “Plano de Transição Democrática”, defendido pelos EUA e seus satélites europeus e sul-americanos, não passa de mais um instrumento de agressão contra a soberania venezuelana, buscando instituir, pela sabotagem e pela força, um governo fantoche a serviço de pilhar os imensos recursos naturais da heroica pátria bolivariana, que neste 19 de abril comemora sua Declaração de Independência do jugo colonial.

A todos os brasileiros e brasileiras amantes da paz, alertamos que a ameaça de guerra contra a Venezuela é real e conta com o apoio do presidente da República Federativa do Brasil, Jair Bolsonaro.

Bolsonaro, em sua canina subordinação a Donald Trump, é um entusiasta explícito dos planos de agressão, colocando em risco a paz na América do Sul, o que é contrário tanto aos interesses estratégicos do Brasil, expressos no Plano Nacional de Defesa, quanto a própria Constituição Nacional, que em seu artigo 4° coloca entre as diretrizes de nossa política externa os princípios constitucionais da “Autodeterminação dos povos” (artigo 4°, princípio 3), da “Não Intervenção” (artigo 4°, princípio 4), da “Defesa da Paz” (artigo 4°, princípio 6) e da “Solução Pacífica dos Conflitos” (artigo 4°, princípio 7).

Defender a soberania da Venezuela significa salvaguardar a paz na América Latina e no Mundo, além de proteger o direito à autodeterminação de todas as nações, que devem ter o direito de escolher de forma soberana os seus próprios caminhos de desenvolvimento e justiça social, sem qualquer intromissão externa que tente subordiná-las a outros interesses que não os dos seus povos.

Pelo fim das ameaças e sanções contra a Venezuela!
Toda solidariedade ao povo, ao governo venezuelano e ao presidente Nicolás Maduro Moros!
A Venezuela vencerá!

Jamil Murad
Presidente do Cebrapaz
Pela Direção Nacional – São Paulo, 19 de abril de 2020