Conselho Mundial da Paz condena o ataque criminoso dos EUA no aeroporto de Bagdá

O Conselho Mundial da Paz denuncia da maneira mais firme o recente ataque criminoso dos Estados Unidos contra um país soberano, o Iraque, em que o comandante da Força Quds da Guarda Revolucionária Iraniana foi assassinado, junto com oficiais de alta patente do Exército do Iraque.

Resultado de imagem para iraq protest against us
Iraquianos protestam contra a intervenção estadunidense na Embaixada dos EUA em Bagdá.

Continue lendo “Conselho Mundial da Paz condena o ataque criminoso dos EUA no aeroporto de Bagdá”

Repudiamos o atentado terrorista do Governo Trump que assassinou general iraniano

O Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz) condena energicamente o criminoso atentado de 2 de janeiro que, por ordem do presidente dos Estados Unidos da América, resultou no assassinato de oito militares iranianos de alta patente, entre eles o general Qassem Soleimani, eminente figura em seu país e em toda a região do Oriente Médio.

Continue lendo “Repudiamos o atentado terrorista do Governo Trump que assassinou general iraniano”

“O povo saaráui lutará até recuperar a soberania”, diz presidente Brahim Ghali no 15º Congresso da Frente Polisario

Decorreu entre 19 e 23/12 em Tifariti, nos territórios liberados do Saara Ocidental, o 15º Congresso da Frente Popular pela Libertação de Saguía el Hamra e Rio de Ouro (POLISARIO), com mais de dois mil delegados. Na encruzilhada em que o povo saaráui debate a sua estratégia de luta, o encontro homenageou o mártir Bujari Uld Ahmed Uld Barical-la, experiente intelectual e diplomata que representou seu povo na ONU. O Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (CEBRAPAZ) enviou mensagem, lida no Congresso, reforçando seu apoio incondicional.

Continue lendo ““O povo saaráui lutará até recuperar a soberania”, diz presidente Brahim Ghali no 15º Congresso da Frente Polisario”

Inquérito do TPI sobre crimes de guerra abrirá nova fase da luta na Palestina ocupada

Após quase cinco anos de espera, a decisão da promotora-chefe do Tribunal Penal Internacional (TPI) Fatou Bensouda pela procedência das acusações por crimes de guerra perpetrados na Palestina é alvissareira, mas demanda cauto seguimento. Em declaração desta sexta-feira (20), a promotora afirma que crimes de guerra foram e são cometidos nos territórios palestinos ocupados e pede aos juízes definição da jurisdição da Corte para então iniciar o inquérito.

Por Moara Crivelente*

Imagem relacionada
Palestinos protestam em Gaza. Foto: PCHR

Continue lendo “Inquérito do TPI sobre crimes de guerra abrirá nova fase da luta na Palestina ocupada”