Cebrapaz repudia presença militar dos EUA na América Latina

O Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz), movimento social brasileiro exercendo a presidência do Conselho Mundial da Paz, vem a público repudiar a mais nova onda de militarização na América do Sul, feita através do acordo militar entre os Estados Unidos e a Colômbia.

A utilização por parte dos EUA das bases de Palanquero, Apiay, Malambo, Cartagena e Málaga, localizadas em território colombiano, constitui grave ameaça à segurança e à paz em nossa região. Estas novas bases visam a transformar a Colômbia em um centro de operações táticas dos EUA na América Latina.

O acordo, que terá duração de 10 anos, permitirá aos norte-americanos ter 1.400 homens, entre civis e militares na Colômbia e contará com investimentos na casa dos 5 bilhões de dólares. A Colômbia é hoje o quinto país em ordem de grandeza com o qual os EUA têm cooperação militar, ficando atrás somente de Israel, Iraque, Egito e Afeganistão.

Destacamos que à medida que a influência política dos EUA diminui na região, o Comando Sul (SOUTHCOM) desse país, voltado para a América Latina e o Caribe, amplia de forma vertiginosa sua presença no continente, seja através da instalação de bases militares e radares ou de iniciativas de envergadura ainda maior, como a recente reativação da Quarta Frota da marinha de guerra dos EUA.

Estas novas bases completam a formação de um verdadeiro cinturão militar no entorno da fronteira com o Brasil. Entre seus reais objetivos estão os de intimidar os processos políticos de transformação que estão em curso, e ainda ganhar posição numa região estratégica e com vastas riquezas naturais.

O Cebrapaz considera positiva a iniciativa dos presidentes Luis Inácio Lula da Silva e Michelle Bachellet de convocar para o próximo dia 10 de agosto o Conselho de Defesa Sul-americano para tratar do tema.

Conclamamos a todas as forças progressistas nacionais e os movimentos sociais para estarem atentos a esta nova escalada militar do imperialismo estadunidense em nossa região.

Conforme deliberação da 2ª Assembléia Nacional do Cebrapaz, realizada no último mês de julho, reafirmamos nossa luta pelo desmantelamento de todas as bases militares estrangeiras no mundo, em especial as que estão situadas em nosso continente.

Repudiamos os intentos de fazer da Colômbia um centro de operações táticas contra os povos e países da região e governos democráticos e antiimperialistas.

Repudiar a escalada militar estadunidense na Colômbia significa defender a América latina como uma região de paz.

São Paulo, 03 de agosto de 2009-08-04, Socorro Gomes,presidente do CEBRAPAZ.

 

 

Deixe uma resposta