Resolução de solidariedade do CMP ao povo palestino

Em resposta à grave situação do Oriente Médio e ao bloqueio das formas de se chegar a um acordo político para o conflito árabe-israelense por conta das políticas sionistas de Israel e do imperialismo mundial e pela constante e flagrante rejeição das resoluções internacionais legítimas, em especial das resoluções 242, 338 e 194, que demandam a retirada completa dos territórios  árabes ocupados em 1967, o Comitê Executivo do CMP adotou a seguinte resolução:

  • Considerando que a política israelense, baseada na usurpação e na violação da legalidade internacional, tornou-se mais intransigente e extrema após a formação do governo Netanyahu, que sustenta o lema do estado judeu em Israel, implicando simplesmente a expulsão de aproximadamente 1,5 milhão de palestinos de sua terra natal por conta de sua origem árabe, o CMP expressa total solidariedade à luta justa do povo palestino, seu direito de retornar para sua terra, seu direito à autodeterminação e ao estabelecimento de seu estado nacional soberano e independente, tendo Jerusalém oriental como sua capital, e a repatriação dos refugiados de acordo com a Resolução 194 da Assembléia Geral das Nações Unidas, a libertação de todos os detentos e a remoção de todas as colônias.
  • O CMP também afirma o direito do povo palestino de resistir às forças de ocupação nos territórios e colônias palestinos.
  • Os participantes do Comitê Executivo conclamam todas as forças da paz, organizações civis e populares, sociedades de direitos humanos, sociedades protetoras do meio-ambiente e os demais movimentos sociais de todo o mundo para exercer toda a pressão necessária para julgar os criminosos de guerra israelenses pelos sucessivos massacres cometidos contra o povo palestino durante tantos anos, realizando tais julgamentos em diversos organismos internacionais.
  • Todos os segmentos e facções do povo palestino têm sofrido com a ocupação. Portanto, demandamos o prosseguimento do relatório Goldstone através de todas as organizações e estruturas mundiais de modo a trazer à justiça os comandantes e generais da ocupação, cujas mãos estão manchadas com o sangue do povo palestino, para que sejam punidos pelos crimes cometidos contra a humanidade.
  • Os participantes do Comitê Executivo confirmam seu pedido para que todos os grupos palestinos acabem com o estado de divisão em suas fileiras. Isto serve apenas ao sionismo e ao imperialismo. A unidade palestina nacional real é a garantia de fato de derrota de todas as artimanhas imperialistas e da conquista dos direitos do povo palestino.

Damasco, Síria, 24 de outubro de 2009, Comitê Executivo do CMP.

Deixe uma resposta