Resoluções da reunião do CMP na Venezuela

Representantes do Conselho Mundial da Paz (CMP) se reuniram em Caracas para avaliar a atuação da organização nos últimos quatro anos no continente americano. No encontro ficou resolvido que:

Plano de trabalho do CMP para as Américas

Caracas, 13 de maio de 2013

Atividades:

Fortalecer a campanha contra as bases militares estrangeiras – Fora Bases: Buscar a partir da CMP desenvolver ações na República Dominicana, Canadá, Chile.

Apoiar a construção do Tribunal Ético Internacional (República Dominicana)

3ª Conferência Trilateral – Cuba 213

3ª Conferência Internacional pela Abolição das Bases Militares – Guantánamo – Cuba
Participar do Fórum Social Mundial Palestina Livre a ser realizado em Porto Alegre – Novembro 2012.

Participar da jornada de ações contra a Cúpula da OTAN a se realizada em Chicago – EUA.

Fortalecer organizativamente o Conselho Mundial da Paz na América Latina:

* Ampliar seus membros, apoiar a constituição de novas organizações, quanto a identificar organizações que podem afiliar-se ao CMP.

*Ampliar o compromisso com o pagamento dos membros.

* Produzir materiais sobre o CMP e suas iniciativas. Buscar reproduzir, em espanhol, edições especiais do Peace Mensseger, quanto a cartazes de campanhas específicas de solidariedade a respeito de temas e países.

* Estabelecer uma periodicidade para as reuniões regionais, ter como meta a realização de ao menos uma reunião por ano e fazendo, em média, o possível uma rotatividade da sub-região.

* Estabelecer um mecanismo mais eficiente de comunicação – um boletim eletrônico regional do CMP

* Realizar a próxima reunião regional do CMP na República Dominicana na data a ser definida.
Assembleia Mundial do Conselho Mundial pela Paz:

* Trabalhar para que a região tenha uma grande presença na Assembleia. Ter como meta nos aproximar do número de presença da última assembleia e impulsionar a mobilização envolvendo as organizações amigas.

Realizar encontros nacionais com a finalidade de debater os temas:

Solidariedade aos povos em luta.

Argentina:
Desenvolver ações em apoio a luta do povo argentino contra o colonialismo e em defesa da soberania argentina sobre as ilhas Malvinas. Divulgar que o instrumento de guerra do imperialismo, a OTAN, faz das Malvinas uma base de ações nas águas do Atlântico Sul.

Colômbia:
Apoiar as iniciativas que buscam impulsionar uma saída política do conflito social e armado. Tornar conhecidas as constantes ameaças de morte contra os dirigentes sociais deste país, além de expressar nossa solidariedade.

Cuba:
Intensificar nosso apoio e estimular iniciativas em torno da luta pela liberação dos cinco prisioneiros do império.

Venezuela:
Pelo que representa para toda a região latino americana, o CMP, deve acompanhar de perto a situação venezuelana e trabalhar em coordenação com COSI para estr presente nas eleições na condição de observador internacional.

Deixe uma resposta