Rechaçamos a deportação da diplomata saráui Jadiyetu el-Mohtar Sid Ahmed pelo Peru

{Español} Com revolta e consternação, o Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (CEBRAPAZ) manifesta seu contundente repúdio à decisão das autoridades peruanas de deportar a diplomata saráui Jadiyetu el-Mohtar Sid Ahmed, nesta quarta-feira (27/09), após 18 dias de espera no aeroporto de Lima.

Imagem da entrevista concedida pela diplomata na 39º Conferência Europeia de Apoio e Solidariedade ao Povo Saráui (EUCOCO)

A diplomata visitaria o Perú para as atividades de solidariedade com o povo saráui, que há quatro décadas resiste contra a ocupação do Saara Ocidental pelo Reino do Marrocos. Também trabalharia pela reaproximação entre o Perú e a República Árabe Saráui Democrática (RASD), que o país latino-americano reconheceu ainda em 1984, mas com quem suspendera relações na década de 1990.

Jadiyetu mantinha uma greve de fome, insistindo em permanecer no aeorporto, resistindo ao tratamento vergonhoso que recebera das autoridades peruanas. De acordo com a diplomata, a decisão da Comissão de Relações Exteriores do parlamento peruano foi influenciada por deputados fujimoristas ligados ao grupo parlamentar de amizade com o Marrocos.

Demandamos a retratação do Perú pelo tratamento degradante e indigno de um país como este oferecido a uma pessoa e a uma diplomata, sejam quais forem suas credenciais reconhecidas oficialmente ou não pelas autoridades peruanas.

Tomamos a lamentável oportunidade para reforçar nossa solidariedade e empenho à luta do povo saráui pela realização do seu direito à autodeterminação e nosso apoio à sua resistência não apenas à brutalidade da ocupação marroquina no Saara Ocidental como também à constante perseguição dos ativistas saráuis e solidários mundo afora pelo Marrocos ou seus agentes.

Neste empenho, nos somamos a inúmeras associações na América Latina e no mundo que também se manifestam em apoio ao povo saráui e à diplomata. Pelo fim da ocupação do Saara Ocidental pelo Marrocos, já!

Antônio Barreto,
Presidente do Cebrapaz