Organização de solidariedade tricontinental rechaça anúncio de Trump sobre Jerusalém

Número 93 da revista da OSPAAAL, Tricontinental, de 1983.

A Organização de Solidariedade dos Povos da África, Ásia e América Latina (OSPAAAL) emitiu nesta quinta-feira (7) uma contundente nota de rechaço ao anúncio do presidente estadunidense Donald Trump em reconhecimento unilateral de Jerusalém como a capital do Estado de Israel. A OSPAAAL foi estabelecida pelo movimento anti-colonial e anti-imperialista na década de 1960, no impulso da Conferência Tricontinental, e sempre afirmou apoio resoluto à luta do povo palestino pela libertação nacional. Leia o texto a seguir:

Declaração da OSPAAAL contra a decisão dos EUA de reconhecer Jerusalém como a capital do Estado de Israel

Ao tomar conhecimento da decisão unilateral do Presidente dos Estados Unidos de transferir a embaixada norte-americana a Jerusalém e reconhecer esta cidade como a capital do Estado de Israel, a Organização de Solidariedade dos Povos da Áfrical, Ásia e América Latina (OSPAAAL) condena, nos termos mais enérgicos, o que constitui uma grave e flagrante violação do Direito Internacional, assim como das numerosas resoluções das Nações Unidas, que reconhecem os direitos nacionais e em cuja defesa o povo palestino tem lutado heroicamente, durante 70 anos.

Esta decisão arbitrária e provocadora, tomada justo quando se registravam avanços no caminho pela unidade nacional palestina, busca conceder legitimidade à ocupação de Jerusalém e de todo o solo palestino usurpado pelo colonialismo sionista, descarrila toda a possibilidade de retomar as negociações de paz que já acumulam um trajeto de 25 anos sem resultados, suprime qualquer oportunidade para a solução do conflito israelo-palestino mediante a fórmula dos dois Estados aceita pelo consenso mundial, ofende a todos os povos árabes e islâmicos e terá consequências muito negativas para a estabilidade e a segurança do Oriente Médio.

O Secretariado Executivo da OSPAAAL formula um apelo urgente a todas as suas organizações membros e amigas, às associações e indivíduos amantes da paz e da justiça que se identificam com a defesa da causa do povo palestino a expressar categórico rechaço diante de tão grave decisão.

Solidariedade tricontinenal militante com o legítimo direito ao Estado palestino livre e soberano, com Jerusalém Oriental como sua capital, dentro das fronteiras prévias à guerra de agressão sionista de 1967.

Sobre a justa causa do povo palestino: nenhum passo atrás!

Secretariado Executivo da OSPAAAL
Havana, 7 de dezembro de 2017