Na Venezuela, instituições do poder coordenam ações para garantir voto popular

Representantes da Força Armada Nacional Bolivariana (FANB) e dos poderes públicos iniciaram nesta terça-feira (15) o Plano República, que mobilizará 300 mil funcionários em mais de 14 mil centros de votação que receberão mais de 20 milhões de votantes no próximo domingo (20), quando serão eleitos o Presidente da República e os conselhos legislativos.

Resultado de imagem para venezuela elecciones

A articulação destas instâncias evidencia que os poderes do Estado venezuelano estão coesos e trabalham juntos para dar resposta às demandas do povo, que reclama seu direito à livre expressão e a eleger, afirmou o ministro da Defesa, Vladimir Padrino López.

“O povo da Venezuela clama neste momento pelo avanço do país, pela viabilização do país no caminho da paz, da democracia, da tolerância, este é o clamor do povo da Venezuela e aqui está todo um Estado com sua força institucional, com seus princípios, com seus valores, fazendo valer os dieitos dos venezuelanos”, indicou.

Por seu turno, o ministro do Interior, Justiça e Paz, Néstor Reverol, disse que estão de prontidão rdens o Comando Estratégico Operacional (CEO), mais de 150 mil funcionários dos organismos de segurança cidadã, dos corpos policiais estatais e municipais, para apoiar o Plano República.

Igualmente, foi concebido um sistema de inteligência, patrulha e pronta reação, em que foram identificadas 67 zonas de atuação e priorizados 50 municipios e 231 bairros, com uma reserva de mais de 34 mil efetivos para garantir o controle, manutenção e restabelecimento da ordem pública.

Também foi ativado o sistema de segurança VEN-911 que estará monitorando os 14.638 centros eleitorais e sistema de gestão de risco para garantir e atender qualquer ameaça ambiental que se apresente antes, durante e depois das eleições.

Por sua parte, o Ministério Público (MP) pôs à disposição do processo eleitoral 1.326 procuradores, distribuídos entre 24 procuradores superiores, 27 nacionais, 939 estaduais e uma equipe multidisciplinar formada por 336 funcionários que garantirão a operatividade ds Sala Situacional que se instalará na sede principal do MP.

Uma expressão de soberania

A convocação do processo eleitoral de 20 de maio enfrenta as falsas versões difundidas por setores da extrema direita, que insistem em apresentar as eleições como ilegítimas, e manobras a favor da ingerência alentadas pelos Estados Unidos, países da Europa e da América Latina, que insistem em que as eleições sejam suspensas.

Em face disso, a presidenta do Conselho Nacional Eleitoral (CNE), Tibisay Lucena, reafirmou o pleno apego dessa instituição aos princípios de soberania e autodeterminação da Venezuela.

Nessa mesma linha, também se pronunciou o procurador geral, Tarek William Saab, que chamou o povo a votar e sublinhou que o voto é um Direito Humano de caráter político, “que não pode ser sabotado, neutralizado, que não podemos permitir seja impedido por nenhuma potência estrangeira”. O voto popular vai ser, disse, “a lição que a Venezuela dará frente aos chamados de guerra, de bloqueio, de invasão militar, de ocupação estrangeira”.

Fonte: Resistência