Aos médicos cubanos e a Cuba, a eterna gratidão do povo brasileiro

[En Español] Em comunicado emitido nesta quarta-feira (14), o Ministério da Saúde da República de Cuba anunciou a retirada dos médicos cubanos do programa Mais Médicos. A participação cubana no programa era pautada por regras acordadas entre Brasil e Cuba, sob os auspícios da Organização Pan-Americana da Saúde, mais antiga entidade internacional da saúde, integrada ao sistema das Nações Unidas desde a fundação da ONU.

Durante os cinco anos da participação de Cuba no programa, os profissionais de saúde cubanos atenderam 113 milhões de brasileiros, muitos deles pela primeira vez recebendo cuidados médicos.

Estes pacientes deram aos médicos cubanos uma aprovação de 95%, segundo pesquisa encomendada pelo Ministério da Saúde do Brasil.

Isso porque os médicos cubanos, por sua formação, encaram a medicina, antes de mais nada, como uma missão humanitária e não como um meio para o enriquecimento pessoal. Assim, iam aonde eram necessários ao povo. Iam aonde outros se recusavam a ir.

Tal noção parecer ter sido uma bofetada moral para alguns setores elitistas brasileiros que reagiram de forma histérica à participação dos cubanos.

Não basta negar atendimento médico aos mais pobres, é preciso atacar quem de forma solidária se propõe a oferecê-lo.

Como porta-voz desta parcela preconceituosa e atrasada da sociedade brasileira, o presidente eleito Jair Bolsonaro, antes, durante e depois da campanha eleitoral, atacou o programa, atacou Cuba e colocou em dúvida a competência e a formação dos médicos cubanos.

Aviltada pela verborragia da ideologia de extrema-direita que conforma a primitiva forma de pensar do presidente eleito, para a República de Cuba não havia alternativa, diante destes ataques, senão a de resguardar a dignidade de seus profissionais e a dignidade da própria nação.

Os médicos cubanos saem, assim, de cabeça erguida, cercados pelo carinho e pela gratidão do povo brasileiro.

Toda a direção, todos os núcleos estaduais e todos os militantes do Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz) dizemos também em uníssono: muito obrigado, Cuba! Muito obrigado, médicos cubanos!

Quando as nuvens do obscurantismo se dissiparem do céu de nossa pátria e voltar a brilhar o sol da liberdade e da justiça, com certeza nos veremos de novo.

A Direção Nacional do Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz – Cebrapaz.
15/11/2018